R7 Planalto Simone Tebet lança candidatura independente para o Senado

Simone Tebet lança candidatura independente para o Senado

A justificativa para a decisão da senadora é que o partido estava negociando cargos na Mesa

  • R7 Planalto | Mariana Londres, do R7

Simone Tebet pode ser a primeira mulher com o cargo de presidente do Senado

Simone Tebet pode ser a primeira mulher com o cargo de presidente do Senado

Marcelo Camargo / Agência Brasil

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) deixou de ser candidata à Presidência do Senado Federal pelo MDB e lançou candidatura independente. A justificativa, que foi comunicada a ela pelo líder da bancada, Eduardo Braga (MDB-AM), é que o partido estava negociando cargos na mesa em uma possível composição com o candidato apoiado pelo Planalto, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

“Diante dessa comunicação fui liberada e não tive outra escolha. Deixo de ser a candidata à presidência do Senado pelo MDB e lanço a minha candidatura independente, não avulsa, independente”, afirmou a senadora nesta quinta-feira (28). "Nossa campanha começa agora e tenho orgulho de ser a primeira mulher candidata à presidência."

Durante o anúncio, Tebet citou alguns senadores do grupo Muda Senado, como Álvaro Dias (Podemos-PR), grupo ao qual é próxima e agora parece representar com a candidatura independente. "Faço especial agradecimento nesse compromisso desse grupo com a independência do Senado Federal ao líder do Podemos, Álvaro Dias, que mandou mensagem falando que o Podemos está caminhando conosco. Agradecimento ao Alessandro Viera e Eliziane Gama, do Cidadania, Tasso Jereissatti, Mara Gabrilli e José Serra, do PSDB e Leila Barros pelo PSB". 

Apesar de não ser mais candidata do seu partido, ela elogiou o líder da bancada, Eduardo Braga (MDB-AM), e disse que tem o voto dele. “Mas agora não sou candidata do meu partido. E hoje a mulher brasileira tem uma representante como candidato à presidência do Senado, a primeira em duzendos anos de história do Senado”, explicou.

Tebet defendeu o auxílio emergencial dentro do teto, a vacinação da população e disse que o Senado perdeu a sua independência por agora ter uma candidatura ligada ao Planalto.

O MDB havia turbinada sua bancada, passando a ter 15 senadores – a maior da Casa. Na melhor das hipóteses, estará num bloco com o total de 36 senadores. Para ganhar a eleição, são necessários 41 votos.

Últimas