R7 Planalto 'Trouxeram paz', diz ministro aos PMs após morte de Lázaro

'Trouxeram paz', diz ministro aos PMs após morte de Lázaro

Anderson Torres usou as redes sociais nesta segunda-feira (28) para comentar caso de homem que assassinou várias pessoas

  • R7 Planalto | Plínio Aguiar, do R7

Na imagem, ministro Anderson Torres (Justiça)

Na imagem, ministro Anderson Torres (Justiça)

Divulgação/SSP-DF

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, usou as redes sociais nesta segunda-feira (28) para comentar sobre a captura e morte do serial killer Lázaro Barbosa.

“Hoje chegou ao fim a operação de busca pelo criminoso Lázaro. Gostaria de parabenizar todos os policiais envolvidos na operação, que sob a coordenação da Secretaria de Segurança Pública de Goiás, obtiveram êxito em achar esse criminoso”, afirmou Torres.

“Os senhores (policiais) trouxeram de volta a paz à sociedade brasileira e, em especial, ao Distrito Federal e entorno de Brasília”, acrescentou.

Lázaro Barbosa

Barbosa é apontado como responsável pela morte de quatro pessoas da mesma família em Ceilândia, na região administrativa do Distrito Federal. A busca pelo acusado mobilizou centenas de policiais lotados no Distrito Federal e em Goiás.

Durante as quase três semanas de buscas, segundo a polícia, Lázaro passou por áreas rurais e zonas de mata. Ele sempre estava armado e invadia fazendas para se alimentar e descansar, obrigando moradores locais a cozinharem para ele. Ao longo deste período, ao menos quatro pessoas foram mortas e outras três foram baleadas pelo foragido.

A lista de crimes pelos quais Barbosa era acusado continha casos de homicídio a triplo homicídio, estupros, tentativa de latrocínio, porte ilegal de arma de fogo, furto e roubos. Há registros de delitos cometidos ao longo de 14 anos.

Desde seu primeiro crime de que se tem notícia, em 2007, homem já havia fugido de três penitenciárias em Goiás, Bahia e Distrito Federal. O serial killer foi capturado nesta segunda-feira (28) em área de mata de Águas Lindas de Goiás (GO). A polícia também confirmou que o homem não resistiu aos ferimentos.

Últimas