Rio de Janeiro Familiares de PMs do Rio protestam em unidades da corporação

Familiares de PMs do Rio protestam em unidades da corporação

Apesar da manifestação, policiais informa pelas redes sociais que trabalho está normal

Cerca de 15 mulheres tentaram interditar a porta da sede do Batalhão de Choque da PM do Rio

Cerca de 15 mulheres tentaram interditar a porta da sede do Batalhão de Choque da PM do Rio

Antônio Luis/10.02.2017/Futura Press/Folhapress

Familiares de policiais militares do Rio de Janeiro protestam em cerca de 10 unidades da PM em todo o Estado, na manhã desta sexta-feira (10).

Entre elas estão o Batalhão de Choque, no centro, o 6º Batalhão, na Tijuca (zona norte), o 18º Batalhão, em Jacarepaguá (zona oeste), o Comando de Polícia Pacificadora, no complexo do Alemão (zona norte), e unidades da Baixada Fluminense, como em Belford Roxo.

Apesar dos protestos, a Polícia Militar informa pelas redes sociais que o policiamento está normal em todo o Estado.

Às 6h, 16 mulheres tentavam interditar a porta da sede do Batalhão de Choque da Polícia Militar do Rio, trajando camisetas com as palavras "basta" e "dignidade" e portando faixa com a inscrição: "Eles não podem! Nós podemos! Familiares em apoio ao policial militar. Sangue e vitória". Além disso, elas cobravam, em cartazes, o pagamento do 13º salário, ainda não pago pelo governo do Estado.

As mulheres se organizaram por grupo de Whatsapp e informam que pretendem protestar por tempo indeterminado. "Se o governo não paga, não vai ter mais policiamento", afirmou uma das manifestantes. Elas não querem ser identificadas, alegando que isso poderá gerar algum tipo de represália aos maridos.

Últimas