Notícias Rio só tem kit intubação para três dias, diz secretário de Saúde

Rio só tem kit intubação para três dias, diz secretário de Saúde

Agência Estado

Os hospitais públicos na capital fluminense só têm estoque de medicamentos necessários à intubação de pacientes por mais três dias, afirmou na manhã desta sexta-feira, 16, o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz. Para tentar evitar a falta dessas substâncias, essenciais para pacientes de covid-19, até os sedativos usados no Centro de Controle de Zoonoses da prefeitura foram recolhidos. Os insumos foram levados para o Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, em Acari (zona norte), unidade de referência do município para o tratamento da doença. Esses sedativos podem ser aplicados também em humanos. As cirurgias eletivas veterinárias estão suspensas.

"Todos os hospitais (instalados no Rio) municipais, estaduais e federais têm um abastecimento (de medicamentos) para três dias, e a gente tem remanejado para toda a rede, para que não falte em nenhuma unidade e que a gente consiga manter um equilíbrio neste fornecimento", disse Soranz. "Toda a rede SUS e a rede privada estão contribuindo para a manutenção desses insumos, que são estratégicos. O Ministério da saúde centralizou essa compra e tem distribuído por meio do governo do Estado, que é responsável por esta logística."

Segundo o secretário, as cirurgias eletivas estão suspensas na cidade do Rio de Janeiro "e isso inclui as cirurgias no centro de veterinária". "Não faz o menor sentido continuar consumindo itens essenciais para intubação e para a saúde humana nas unidades veterinárias", afirmou ele. "Então, a gente está utilizando todo este material relativo a sedativos e a bloqueadores neuromusculares nas unidades que têm um alto atendimento de pessoas com covid ou outras doenças em que é necessária a intubação", disse o secretário.

Em nota emitida à tarde, a Secretaria municipal de Saúde afirmou que recebeu uma remessa dos medicamentos do kit intubação na quinta-feira, 15. Os hospitais foram abastecidos. Há previsão de recebimento de novas remessas nos próximos dias, diz a pasta. A secretaria "trabalha com o remanejamento dos insumos entre as unidades".

"O País todo está com muitas pessoas internadas, o que consome muito material e medicamentos. O Ministério da Saúde definiu que essa compra específica seria centralizada e está entregando de acordo com os leitos cadastrados. A Secretaria Municipal de Saúde e o Ministério da Saúde estão organizando o fluxo para que o abastecimento permaneça de modo continuado", conclui a nota.

Também em nota, a secretaria de Saúde do Estado do Rio afirmou que entregou na quinta-feira, 15, medicamentos do "kit intubação" a 55 hospitais que atendem pacientes em tratamento de covid-19. Desses, 36 receberam anestésicos e bloqueadores musculares. Os insumos compõem o estoque de medicamentos para o período estimado de sete dias de atendimento. Esses estoques também são compostos por substâncias adquiridas pela gestão do próprio hospital e/ou município gestor, diz a pasta.

Prefeitura do Rio prorroga medidas restritivas

Soranz anunciou também que a prefeitura decidiu estender até o dia 27 algumas medidas restritivas para evitar aglomerações e tentar combater a disseminação do coronavírus.

Continua proibida a permanência na areia das praias. São permitidas na orla apenas atividades esportivas individuais ou coletivas. Estas não podem causar aglomeração. Boates não podem abrir. Festas e eventos seguem proibidos. Bares, lanchonetes e restaurantes podem funcionar até às 21h.

O funcionamento do comércio está mantido das 10h às 18h. Museus, bibliotecas, cinemas, teatros e parques podem ficar abertos das 12h às 21h.

Últimas