São Paulo Laudo comprova que artefatos de manifestantes não eram explosivos, mas eles continuam presos

Laudo comprova que artefatos de manifestantes não eram explosivos, mas eles continuam presos

Os dois manifestantes foram detidos durante protesto contra a Copa do Mundo em junho

Laudo comprova que artefatos de manifestantes não eram explosivos, mas eles continuam presos

Helena Harano, mãe de Hideki, durante ato contra repressão policial

Helena Harano, mãe de Hideki, durante ato contra repressão policial

Rodrigo Dionísio/ 30.7.14/ Frame/ Estadão Conteúdo

Um laudo elaborado pelo GATE (Grupo de Ações Táticas Especiais) e pelo IC (Instituto de Criminalística) aponta que os artefatos encontrados com Fabio Hideki, de 27 anos, e Rafael Lusvarghi, de 26, não eram explosivos, sequer incendiários. Porém, os dois continuarão detidos.

Os dois manifestantes foram presos no dia 23 de junho durante uma manifestação contra a Copa do Mundo. Os dois rapazes foram acusados de associação criminosa, porte de explosivos, incitação ao crime e outros delitos.

Em nota, a SSP (Secretaria de Segurança Pública) informou que "as denúncias, que não se baseiam apenas em objetos encontrados com ambos, se converteram em processos judiciais, nos quais Harano e Lusvarghi figuram como réus". Desta forma, os dois acusados permanecerão presos e serão julgados pela Justiça.

Leia mais notícias de São Paulo

Ministério Público denuncia manifestantes presos na avenida Paulista