São Paulo Novo presidente da Ceagesp promete moralizar companhia

Novo presidente da Ceagesp promete moralizar companhia

Empossado em outubro, o coronel da reserva da Polícia Militar do Estado de São Paulo Ricardo Mello Araújo, quer implementar um disque-denúncia

  • São Paulo | Tiago Muniz, de São Paulo

Presidente da Ceagesp fiscaliza instalações do entreposto

Presidente da Ceagesp fiscaliza instalações do entreposto

Divulgação/Ceagesp

O novo presidente da Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo) diz que tem recebido tantas informações sobre possíveis irregularidades na empresa do Governo Federal, que está estudando a implantação de um número de disque-denúncia.

Empossado em outubro, o coronel da reserva da Polícia Militar do Estado de São Paulo Ricardo Mello Araújo diz que os dados têm chegado principalmente pela rede social Instagram, onde o ex-comandante da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar - tropa especializada da PM) mantém presença ativa. São pelo menos 40 denúncias diárias, segundo o militar.

Na posição de principal executivo do maior entreposto de frutas, legumes e verduras da América Latina, Mello Araújo admite o tamanho do desafio: "Aqui é uma verdadeira cidade, com mais de 50 mil habitantes", se referindo ao volume de pessoas que circulam diariamente pelo complexo localizado na Vila Leopoldina, Zona Oeste de São Paulo.

O presidente falou com a reportagem rapidamente, depois de uma atividade de fiscalização nesta sexta-feira (6). O evento começou às 8h, com o próprio Mello Araújo, de megafone na mão, comandando uma atividade de alongamento com funcionários em frente ao prédio da presidência, perto da torre do relógio. Depois disso, o grupo partiu em direção ao Pavilhão das Abóboras.

No caminho, o executivo abordou aleatoriamente uma mulher que vendia café nas imediações do local e verificou que ela estava sem a documentação necessária. Ao se deparar com a situação, Mello Araújo chamou um dos diretores da Ceagesp que integravam a comitiva e pediu que ele verificasse o caso dela para fazer a regularização. "Nós queremos que todos trabalhem, mas com a documentação em ordem", diz Mello Araújo.

Ele ainda conferiu o peso de algumas balanças, a situação de outros trabalhadores e finalizou a volta conferindo a situação de banheiros localizados no Mercado Livre ao Produtor. A avaliação mostrou que o sanitário masculino não está com as condições de higiene adequadas, levando uma nota quatro em escala de zero a dez.

Em busca de uma "moralização" da Ceagesp, Mello Araújo diz ainda que já está em andamento um processo de verificação dos contratos assumidos pela Ceagesp nos últimos anos. Outro ponto de interesse do presidente é fortalecer o controle de acesso ao complexo da Vila Leopoldina para aumentar a segurança. "O desafio é fazer isso sem travar o fluxo de veículos que é fundamental para o funcionamento", afirma.

No final da atividade, Mello Araújo anunciou que o relógio da torre, principal marco do entreposto, vai ser consertado.

Últimas