São Paulo Professores encerram ato em frente à prefeitura 

Professores encerram ato em frente à prefeitura 

Categoria decidiu hoje pela manutenção da greve; próxima assembleia será na sexta-feira

Professores encerram ato em frente à prefeitura 

Protesto teve início no vão livre do Masp nesta terça-feira

Protesto teve início no vão livre do Masp nesta terça-feira

Fábio Vieira/Fotoarena/Estadão Conteúdo

O protesto realizado pelos professores municipais de São Paulo na tarde desta terça-feira (20) foi encerrado por volta das 18h em frente à prefeitura. Mas um grupo permanece no viaduto do Chá.

Em greve há quase um mês, os docentes se reuniram na avenida Paulista e seguiram no sentido do centro da cidade, bloqueando parte das vias pelas quais passaram.

O grupo é contra a proposta da prefeitura de abono de 15,38% no piso salarial. Em assembleia, a categoria decidiu nesta terça-feira pela continuidade da greve. A próxima assembleia ocorrerá na sexta-feira (23), às 10h, em frente à prefeitura.

Segundo o presidente do Simpeem, Claudio Fonseca, os professores querem que essa porcentagem seja incorporada ao salário de todos os professores, inclusive os aposentados.

Leia mais notícias de São Paulo

— A proposta da prefeitura de abono contempla apenas 16 mil de um total de 94 mil profissionais. O governo respondeu apenas a três demandas de 205 enviadas pelos professores ao governo.

Fonseca lembrou que maio é o mês data-base para os profissionais da educação.

— Data em que se espera que o reajuste não fique abaixo da inflação do período. O governo disse que vai incorporar os 15,38% apenas no ano que vem e não explica em quantas vezes. Queremos que a incorporação ocorra ainda neste ano.