Saúde Suplementação de substância encontrada no cacau reduz risco de doenças cardiovasculares

Suplementação de substância encontrada no cacau reduz risco de doenças cardiovasculares

Grupo que tomou componente regularmente por mais de 3 anos teve 39% menos risco de morrer do coração, aponta estudo

  • Saúde | Do R7

Estudo analisou suplemento de extrato de cacau consumido diariamente

Estudo analisou suplemento de extrato de cacau consumido diariamente

Pixabay

Os benefícios do cacau à saúde do coração já são velhos conhecidos. Mas agora pesquisadores da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, conseguiram mostrar o nível de proteção cardiovascular que um dos componentes da fruta é capaz de garantir.

Os cientistas do Brigham and Women's Hospital, ligado à universidade, realizaram um estudo em larga escala que encontrou sinais de efeitos cardiovasculares preventivos no consumo regular de suplementos de flavonoides de cacau.

Os resultados, publicados recentemente no Jornal Americano de Nutrição Clínica, mostraram que indivíduos que tomaram flavonol tiveram uma taxa de morte por doença cardiovascular 27% menor do que os que não haviam tomado.

Os eventos avaliados incluíram ataque cardíaco, acidente vascular cerebral, revascularização coronariana, morte cardiovascular, doença da artéria carótida, cirurgia de artéria periférica e angina instável.

Mais de 21 mil voluntários foram analisados durante 3,6 anos. Parte tomou um comprimido de 500 mg de flavonoides de cacau e a outra parte recebeu um comprimido multivitamínico, sem que nenhum participante soubesse o que estava ingerindo diariamente.

"Quando a equipe do estudo levou em consideração a adesão às pílulas do estudo (observando aqueles que tomam as pílulas do estudo regularmente), viu uma redução mais forte de 15% no total de eventos cardiovasculares e uma redução de 39% na morte por doença cardiovascular", diz o Brigham and Women's Hospital em comunicado.

Os flavonoides são compostos bioativos encontrados naturalmente em muitas plantas, inclusive folhas de chá, maçã, frutas vermelhas e também nas sementes de cacau, razão pela qual o consumo de chocolate amargo é apontado como benéfico também.

Uma das autoras do estudo, a médica JoAnn Manson, todavia, ressalta que o trabalho não avaliou o chocolate.

"É um teste rigoroso de um suplemento de extrato de cacau que contém níveis de flavonoides de cacau que uma pessoa nunca poderia consumir de chocolate sem adicionar calorias, gordura e açúcar em excesso à sua dieta."

Últimas