Coronavírus

Saúde Tire suas dúvidas sobre a vacinação de gestantes contra a Covid-19

Tire suas dúvidas sobre a vacinação de gestantes contra a Covid-19

Grávidas e puérperas são consideradas grupos de risco e devem se imunizar para evitar complicações caso sejam infectadas

  • Saúde | Do R7

Imunização de gestantes é importante para evitar agravamento da Covid-19

Imunização de gestantes é importante para evitar agravamento da Covid-19

Lívia Bastos/Prefeitura de Nova Lima

Desde a metade do ano passado, o Ministério da Saúde considera gestantes e puérperas grupos de risco da Covid-19 e, portanto, com recomendação de manter o esquema vacinal em dia a fim de evitar complicações caso sejam infectadas pelo coronavírus.

A Covid-19 pode provocar parto prematuro, óbito fetal, aborto e outros problemas.

Quem pode ser vacinada?

Todas as grávidas e puérperas (mulheres que deram à luz há 45 dias), inclusive as de 12 a 17 anos, podem ser imunizadas contra a Covid-19.

Existe fase da gravidez para a vacinação?

Segundo o Ministério da Saúde, a vacina pode ser tomada "em qualquer trimestre da gestação", assim como os reforços, dentro do intervalo estabelecido de quatro meses desde a dose anterior.

É necessário levar teste de gravidez à unidade de saúde?

Não. "O teste de gravidez não deve ser um pré-requisito para a administração das vacinas nas mulheres com potencial para engravidar e que se encontram em um dos grupos prioritários para vacinação", pontua a SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações).

Quais vacinas são usadas?

O Ministério da Saúde estabelece que as vacinas da Pfizer/BioNTech e do Instituto Butantan (CoronaVac) podem ser utilizadas em gestantes e puérperas para esquema primário. O reforço é feito, preferencialmente, com Pfizer.

Um estudo recente mostrou que imunizantes que utilizam essa tecnologia (RNA mensageiro) são seguros para mulheres grávidas.

As vacinas de vetor viral (AstraZeneca e Janssen) não são indicadas para esses grupos.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) reforça que a vacinação tem muito mais benefícios do que risco para esse grupo, assim como para toda a população.

O bebê de uma mãe vacinada vai nascer com anticorpos contra a Covid-19?

Alguns estudos conduzidos no ano passado identificaram que mulheres vacinadas com Pfizer e CoronaVac passaram anticorpos para os recém-nascidos. Mas especialistas enfatizam que isso pode não ser algo duradouro e nem homogêneo.

A vacina afeta a amamentação?

Não. Segundo a SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria), "o puerpério, inclusive, é considerado um excelente momento de atualização do calendário vacinal da mulher".

Últimas