YouTube estreia serviço de streaming de música sem anúncios

YouTube Music Key oferece opções bem semelhantes às do Spotify

Serviço de streaming do YouTube vai concorrer com o Spotify

Serviço de streaming do YouTube vai concorrer com o Spotify

Reprodução/Flickr/Andrew Perry

O YouTube lançou o YouTube Music Key, um novo serviço premium que vai oferecer músicas livres de anúncios que podem ser baixadas para tocar offline, inclusive de fundo em smartphones e tablets. As informações são The Independent.

O serviço será uma espécie de concorrente do Spotify e atualmente está disponível apenas no Reino Unido, Estados Unidos, Irlanda, Portugal, Itália e Finlândia com um pacote de entrada de seis meses grátis. Assim como o concorrente famoso Spotify, depois do período de testes, o YouTube Music Key poderá ser usado na versão gratuita com anúncios ou na versão paga sem anúncios, que vai custar 9,99 libras (aproximadamente R$ 40) por mês.

Os assinantes do serviço terão acesso à biblioteca Play Music, do Google, e vice-versa. Assim, deve ficar mais fácil encontrar espaço em dispositivos para as playlists offline, já que o serviço do YouTube inclui não só o download da música, mas do vídeo também.

Google doa US$ 10 milhões para combate ao ebola

O Spotify é o que pretende ser a "pedra no sapato" do YouTube Music Key. Embora o YouTube seja um dos sites mais famosos do mundo, com mais de um bilhão de usuários que usam o serviço todos os meses, o Spotify ainda tem a liderança do serviço de streaming de música, com 50 milhões de usuários, dos quais 12,5 milhões são assinantes da versão paga.

Ainda é impossível saber se os usuários vão gostar de organizar sua biblioteca de músicas em uma plataforma já popularizada como sendo de vídeo. A parceria com a Play Music, do Google, pode ser a solução para isso, mas também pode confundir os clientes.

Além disso, o serviço do YouTube não difere muito do atual modelo de streaming que tem sido alvo de críticas de artistas como a cantora Taylor Swift, que recentemente tirou todos os seus álbuns do Spotify.

Enquanto artistas argumentam que recebem tratamento injusto dos serviços de streaming, os provedores dizem que fornecem música de graça para seduzir usuários a pagar, mas muitos não concordam com essas táticas. No caso do Music Key, selos independentes já estão reclamando que o YouTube oferece negócios piores para bandas e artistas menores.