Brasil

14/2/2013 às 10h29

Ministro diz que silêncio do Brasil sobre renúncia de Bento XVI foi respeito

Gilberto Carvalho disse discordar da avaliação de que País demorou para se manifestar

Agência Estado

O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, rompeu na quarta-feira (13) o silêncio de dois dias do governo brasileiro sobre a renúncia de Bento XVI. No lançamento da Campanha da Fraternidade 2013 da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), disse nos primeiros minutos do discurso: "Não há problema na relação entre governo e Igreja. Pelo contrário".

Carvalho disse discordar da avaliação de que o País teria demorado em se manifestar.

— Não havia o que se falar. Foi uma atitude respeitosa.

Carvalho promete avanços na reforma agrária

Leia mais notícias de Brasil

Ele também lembrou que nenhuma liderança da América Latina se manifestou sobre a renúncia do papa e afirmou que "atitudes são mais importantes do que falas".

Para muitos, o silêncio foi interpretado como sinal de distanciamento entre o governo brasileiro e o Vaticano. Mas o ministro-chefe buscou mostrar que o clima era outro, ao cantar animadamente o refrão da música da Campanha da Fraternidade, que tem como tema a juventude.

Entretanto, Carvalho procurou deixar clara a necessidade da independência entre Igreja e governo. Questionado sobre as expectativas de um cardeal brasileiro ser eleito papa, afirmou: "A Igreja não deve ser submissa ao governo nem o governo à Igreja".

Já o secretário-geral da CNBB, Leonardo Steiner, afirmou que seria uma "honra" a indicação de um cardeal do País para chefiar a Igreja.

— O Brasil tem chances.

Carvalho ressaltou que o governo brasileiro respeita a decisão do papa. Falando em nome da presidente Dilma Rousseff, disse que há "um desejo muito forte de que ele possa continuar contribuindo com a Igreja, no plano espiritual, nas orações e, enfim, na vida que está escolhendo".

Pedido

Na mensagem transmitida anualmente no início da Campanha da Fraternidade, Bento XVI pediu aos jovens brasileiros que sejam "protagonistas de uma sociedade mais justa e mais fraterna, inspirada no Evangelho".

O texto foi escrito no dia 8, antes da divulgação da renúncia.

  • Espalhe por aí:

Veja também

Todas as notícias
Publicidade
Compartilhe
Compartilhe
Pechinchas

Leilão da PF vende caminhonete por R$10,5 mil e GM Omega por R$ 1,8 mil

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Esposa modelo

Conheça Letícia Weber, a mulher do senador e pré-candidato Aécio Neves

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Duro na queda!

Novos blindados do Exército resistem a explosões e atingem alvo a 2.000 metros

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
Compartilhe
Relacionamento

Amor na política: conheça os casais que se formam nos bastidores da vida pública

  • Compartilhe no Facebook
  • Compartilhe no Twitter
  • Compartilhe no Google Plus
  • Últimas de Brasil

  • Últimas de Notícias

X
Enviar por e-mail
(todos os campos marcados com * são obrigatórios)
Preencha os campos corretamente.
Mensagem enviada com sucesso!