Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

Corpo de médico que morreu em queda de avião no Amazonas é enviado para o DF nesta segunda

Referência em cirurgia do aparelho digestivo, Roland Montenegro foi uma das vítimas do acidente aéreo que matou 14 pessoas no AM

Brasília|Edis Henrique Peres, do R7, em Brasília

Roland Montenegro era médico aposentado do Hospital de Base
Roland Montenegro era médico aposentado do Hospital de Base Roland Montenegro era médico aposentado do Hospital de Base

O corpo do médico Roland Montenegro Costa, de 70 anos, um dos mortos no acidente aéreo no Amazonas, no sábado (16), deixou Manaus (AM) na manhã desta segunda-feira (18) para ser enviado ao Distrito Federal. O acidente deixou 14 mortos — 12 passageiros e dois tripulantes — em Barcelos, a cerca de 400 km da capital do estado.

Médico aposentado do Hospital de Base, Montenegro era referência em cirurgias no Distrito Federal. As informações sobre o traslado do corpo foram confirmadas pelo Sindicato dos Médicos do DF (SindMédicos), que lamentou a morte do profissional.

O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) investiga o caso, mas, segundo informações do governo amazonense, o grupo estava no local para a prática de pesca esportiva e foi atingido por uma forte chuva enquanto sobrevoava a região. O avião teria caído enquanto tentava pousar.

No domingo (17), o governador do DF, Ibaneis Rocha, lamentou o acidente pelas redes sociais e declarou que o médico era “reconhecido por sua competência e seriedade”. “Chegou a ser agraciado pela Câmara Legislativa como cidadão honorário do DF, por sua atuação na comunidade. Marcou a história do Hospital de Base com uma carreira impecável de dedicação aos pacientes”, apontou o governador.

Publicidade

Ibaneis disse que estava em contato com o governo do Amazonas para auxiliar no que fosse preciso. “Eu me solidarizo com os amigos e familiares pela inestimável perda.”

A vice-governadora da capital também prestou solidariedade aos familiares pelas redes e afirmou que o DF estava em luto. “Roland é uma referência em cirurgia do aparelho digestivo, considerado pioneiro dos transplantes na capital federal. Além disso, exerceu a função de professor de ensino em cirurgia geral na unidade de saúde. Com certeza, deixa um belo legado”, afirmou.

Publicidade

Outras entidades também prestaram homenagem ao médico. Em nota, a Câmara Legislativa do DF declarou que Montenegro conquistou diversas honrarias ao longo da carreira. “Incluindo o Diploma de Mérito Policial Civil Presidente Juscelino Kubitschek, recebido em 2003, e o reconhecimento como um dos Melhores da Medicina do Brasil, em 2007”. Seu papel vital na área da saúde do Distrito Federal era inegável”, publicou.

Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes também lamentou a morte e disse que perdia um amigo. Gilmar descreveu Montenegro como o adversário mais competente das probabilidades, pois “conseguia salvar vidas mesmo quando tudo parecia perdido”. Até a publicação desta reportagem, não havia confirmação do horário nem do local de sepultamento do cirurgião.

Legado

Roland Montenegro Costa era pai de quatro filhos, médico-cirurgião do aparelho digestivo e pioneiro em transplantes em Brasília. Atualmente, uma técnica para cirurgia no pâncreas recebe o nome dele. A abordagem cirúrgica inovadora foi apresentada por Montenegro durante o Congresso Europeu da Sociedade Internacional de Cirurgia Hepato-Pancreatobiliar, em Heidelberg, na Alemanha, em 2005.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.