Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

CPI das Pirâmides Financeiras barra convocação de Renan Bolsonaro e do pai de Neymar

Comissão investiga supostas fraudes por meio de criptomoedas com falsas promessas de alta rentabilidade financeira

Brasília|Hellen Leite, do R7, em Brasília

Renan Bolsonaro, o '04', é um dos alvos da operação
Renan Bolsonaro, o '04', é um dos alvos da operação Renan Bolsonaro, o '04', é um dos alvos da operação

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Pirâmides Financeiras barrou nesta quarta-feira (30) a convocação de Renan Bolsonaro, filho do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), e de Neymar da Silva Santos, pai do jogador de futebol Neymar Júnior. O colegiado apura fraudes que usam criptomoedas com falsas promessas de alta rentabilidade financeira.

O requerimento que pedia a convocação do pai de Neymar foi protocolado após o presidente do Santos Futebol Clube, Andrés Rueda, afirmar em depoimento à CPI que o time pagou uma comissão de 10% ao familiar do jogador por intermediar o negócio do clube com a plataforma de cassino virtual e apostas Blaze, fechado por R$ 45 milhões. No caso, a empresa de Neymar pai recebeu R$ 4,5 milhões.

Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Compartilhe esta notícia no Telegram

Publicidade

A firma tem sido alvo de denúncias depois que um influenciador digital acusou a empresa de não honrar com os prêmios das apostas vencedoras e pagar o cachê de influenciadores com o dinheiro perdido por usuários da plataforma.

O pedido de convocação, no entanto, foi retirado da pauta após um acordo com o deputado que sugeriu a oitiva, Caio Viana (PSD-RJ).

Já o requerimento que pedia a convocação de Renan Bolsonaro foi rejeitado pela maioria dos parlamentares. Uma parte dos deputados queria ouvi-lo por causa de uma propaganda de criptomoedas postada nas redes sociais. Segundo o requerimento, estima-se que ele tenha recebido R$ 266 mil em 24 horas.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.