Brasília Com inflação em queda há três meses, DF registra deflação em junho; comércio mantém crescimento

Com inflação em queda há três meses, DF registra deflação em junho; comércio mantém crescimento

Vendas aumentaram no acumulado de 12 meses; capital criou 18,9 mil vagas de emprego entre janeiro e maio deste ano

  • Brasília | Do R7, em Brasília

Grupo dos transportes teve maior queda em junho

Grupo dos transportes teve maior queda em junho

Foto: Andre Borges/Agência Brasília

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), medidor oficial da inflação, recuou 0,4% no Distrito Federal em junho deste ano, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O índice vinha em queda nos últimos três meses mas ainda estavam resultados positivos — 1,1%, em março; 0,6%, em abril; e 0,2%, em maio. Isso significa que o preço dos produtos das coisas estava subindo por três meses mas apresentou uma queda no quarto. 

Os grupos que apresentaram as maiores quedas de preços foram transporte (-1,15%) e artigos de residência (-0,64%). Vestuário (0,35%) e Educação (0,24%) foram os segmentos com as maiores altas.

Compartilhe esta notícia no WhatsSpp
Compartilhe esta notícia no Telegram

Comércio em alta

Os dados do Panorama do Comércio, feito pela Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL-DF) do mês de maio, mostram que as vendas do comércio varejista do DF aumentaram 0,9% em maio, na comparação com os 12 meses anteriores. O setor que apresentou maior avanço foi o de materiais para escritório, com alta de 43%, seguido por livros, jornais, revistas e papelaria, que tiveram aumento de 31,9%.

Os dados apresentados tem como base os números do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no período. 

A CDL mediu a confiança dos comerciantes do DF com as vendas para o Dia dos Pais, celebrado em 13 de agosto neste ano — 33% estão otimistas, enquanto 54% estão neutros e 13%, pessimistas.

Na comparação com junho, 58% dos entrevistados acreditam que as vendas vão crescer em julho deste ano. Para os próximos seis meses, 61% afirmam estar otimistas com os resultados do comércio.

Confira a variação acumulada das vendas por setor, em 12 meses, no DF, em maio de 2023:

• Materiais para escritório: 43%
• Livros, jornais, revistas e papelaria: 31,9%
• Combustíveis e lubrificantes: 17,1%
• Veículos, motocicletas, partes e peças: 10,5%
• Artigos médicos e farmacêuticos: 1,7%
• Hipermercados e supermercados: -0,8%
• Móveis e eletrodomésticos: -2,4%
• Tecidos, vestuário e calçados: -11,6%
• Outros artigos de uso pessoal e doméstico: -12,4%
• Material de construção: -16,8%

Emprego

Em maio, o DF criou 1.576 postos de trabalho. O acumulado do ano, resultado entre janeiro e maio, ficou em 18.948 novas vagas. O total de empregos formais na capital do país passou de 854,3 mil, em maio de 2022, para 894,4 mil, em maio de 2023.

Últimas