Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Destaques da semana: ministros na Suíça, transferência de Anderson Torres e Lula viaja para o Nordeste

Fernando Haddad e Marina Silva vão representar o Brasil no Fórum Econômico de Davos; ex-ministro e ex-secretário está preso no DF

Brasília|Do R7, em Brasília

Fernando Haddad (Fazenda) e Marina Silva (Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima)
Fernando Haddad (Fazenda) e Marina Silva (Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima) Fernando Haddad (Fazenda) e Marina Silva (Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima)

Os ministros Fernando Haddad (Fazenda) e Marina Silva (Meio Ambiente e Mudança do Clima) vão representar o Brasil no Fórum Econômico de Davos, evento que ocorre na Suíça entre esta segunda-feira (16) e a próxima sexta (20).

Neste ano, o tema é "cooperação em um mundo fragmentado" e tem início oito dias após as invasões e as depredações nas sedes dos Três Poderes da República, em Brasília. Diante do cenário, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) decretou intervenção federal na segurança pública do Governo do Distrito Federal até 31 de janeiro.

O programa da 53ª reunião anual de Davos vai se concentrar em incentivar os líderes mundiais a trabalharem juntos nas seguintes questões:

energia, clima e natureza;

Publicidade

investimento, comércio e infraestrutura;

tecnologias de fronteira e resiliência da indústria;

Publicidade

empregos, habilidades, mobilidade social e saúde; e

cooperação geopolítica.

Publicidade

"Vemos as múltiplas forças políticas, econômicas e sociais criando uma maior fragmentação em nível global e nacional. Precisamos reforçar a cooperação entre o governo e os setores empresariais e criar as condições para uma recuperação forte e duradoura", disse Klaus Schwab, fundador e presidente executivo do fórum.

Depoimento de ex-secretário do DF

Anderson Torres, ex-secretário de Segurança Pública do DF e ex-ministro da Justiça
Anderson Torres, ex-secretário de Segurança Pública do DF e ex-ministro da Justiça Anderson Torres, ex-secretário de Segurança Pública do DF e ex-ministro da Justiça

Ainda não há uma data definida para a transferência do ex-secretário de Segurança Pública do Distrito Federal Anderson Torres, preso preventivamente pela Polícia Federal ao desembarcar em Brasília na manhã do último sábado (14). O depoimento dele à Polícia Federal deve ocorrer nos próximos dias.

Torres passou por audiência de custódia no 4º Batalhão da Polícia Militar (Guará), onde está preso. Com a prisão mantida, existe uma previsão de que ele seja encaminhado para a carceragem do 19º Batalhão da PMDF, conhecida como "Papudinha" — local que recebe policiais militares sob custódia à disposição da Justiça no Complexo Penitenciário da Papuda.

Anderson Torres desembarcou de um voo comercial de Miami pela porta traseira do avião, por volta das 7h20, de forma discreta. Ele passou por exame de corpo de delito — um médico-legista foi deslocado pela PF para realizar o procedimento.

O também ex-ministro da Justiça e Segurança Pública no governo Jair Bolsonaro teve a prisão determinada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, por suposta omissão em relação ao ataque às sedes dos Três Poderes, na capital do país, no último dia 8.

Os atos de vandalismo foram promovidos por manifestantes extremistas que não aceitam a vitória do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições do ano passado.

Leia também

Viagens do presidente Lula

Presidente Lula durante a cerimônia de posse da presidente da Caixa, Rita Serrano, em Brasília
Presidente Lula durante a cerimônia de posse da presidente da Caixa, Rita Serrano, em Brasília Presidente Lula durante a cerimônia de posse da presidente da Caixa, Rita Serrano, em Brasília

A equipe do presidente Lula articula uma viagem a Feira de Santana, na Bahia, para esta sexta-feira (20). Será a primeira viagem para a região Nordeste após ele ser eleito. Na disputa do segundo turno no estado, Lula venceu Bolsonaro com uma diferença de 3,7 milhões de votos.

A intenção é que o presidente visite o estado — até o Rio de Janeiro — antes de viajar para a Argentina, seu primeiro destino internacional neste terceiro mandato. A viagem ocorrerá nos dias 23 e 24 deste mês. 

Na capital argentina, Buenos Aires, Lula vai se encontrar com o presidente Alberto Fernández e participar de uma reunião da Comunidade de Estados Latinoamericanos e Caribenhos (Celac), que está sob a presidência temporária da Argentina.

Em 2 de janeiro, um dia após a cerimônia de posse, Lula se reuniu com diversos chefes de Estado, entre eles, Fernández, que havia confirmado a ida do petista a Buenos Aires. Há ainda a previsão de o chefe do Executivo federal visitar os Estados Unidos, a China e Portugal.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.