Brasília EUA vão decidir doação para Fundo Amazônia nas próximas semanas

EUA vão decidir doação para Fundo Amazônia nas próximas semanas

Embaixadora dos Estados Unidos no Brasil, Elizabeth Bagley, disse que o Congresso americano e a Casa Branca vão discutir o valor

  • Brasília | Giovana Cardoso, do R7, em Brasília

Elizabeth Frawley Bagley, embaixadora dos Estados Unidos no Brasil

Elizabeth Frawley Bagley, embaixadora dos Estados Unidos no Brasil

Giovana Cardoso/ R7- 15.02.2023

A embaixadora dos Estados Unidos no Brasil, Elizabeth Frawley Bagley, disse nesta quarta-feira (15) que o Congresso americano e a Casa Branca vão decidir nas próximas semanas o valor que será doado ao Fundo Amazônia, que tem como objetivo financiar projetos de redução do desmatamento e de fiscalização do bioma.

Em um comunicado conjunto assinado pelos presidentes do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e dos Estados Unidos, Joe Biden, na última sexta-feira (10), consta que ambos concordaram que o Grupo de Trabalho de Alto Nível Brasil-EUA sobre Mudança do Clima, criado em 2015, faça uma reunião.

A intenção é realizar o encontro "com a maior brevidade possível, com vistas a examinar áreas de cooperação, como combate ao desmatamento e à degradação, reforço da bioeconomia, estímulo à implantação da energia limpa, fortalecimento de ações de adaptação e promoção de práticas agrícolas de baixo carbono".

Encontro em Washington

Bagley também falou sobre a reunião entre Biden e Lula que aconteceu na última semana em Washington, nos Estados Unidos. Segundo a embaixadora, os dois discutiram temas como  conservação ambiental, democracia, governança global, energia e investimentos.

No encontro, Bagley disse ainda que Biden concordou em fazer parcerias para as prioridades apontadas por Lula, como democracia, Estado de Direito e comércio, e que ele tem a intenção de trabalhar com o Congresso para fazer uma "contribuição significativa para o Fundo da Amazônia".

Atos de vandalismo

De acordo com a embaixadora, Lula e Biden discutiram sobre os atos de vandalismo que aconteceram no Brasil e nos Estados Unidos. "[Discutiram] as dificuldades que surgem quando a democracia é desafiada. Então, os dois concordaram em trabalhar juntos, mas não há nada específico ainda".

Questões relacionadas ao processo democrático e os efeitos da desinformação e de informações erradas também foram abordadas por Lula e Biden.

Últimas