Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

Mercadante diz que transição avalia incluir revisão do teto de gastos na PEC do estouro

Coordenador dos grupos técnicos criticou medida do governo atual e relatou a proposta nesta terça-feira (22)

Brasília|Plínio Aguiar e Ana Isabel Mansur, do R7 em Brasília

Aloizio Mercadante que informou sobre o dispositivo de revisão do teto de gastos
Aloizio Mercadante que informou sobre o dispositivo de revisão do teto de gastos Aloizio Mercadante que informou sobre o dispositivo de revisão do teto de gastos

O coordenador dos grupos técnicos da equipe de transição, Aloizio Mercadante, informou nesta terça-feira (22) que o grupo avalia inserir na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do estouro um dispositivo de revisão do teto de gastos, regra que limita o crescimento das despesas à inflação.

"Havia o dispositivo [de revisão do teto de gastos] e não há mais esse comando. E o que se discute é inserir um dispositivo da revisão do teto de gastos por lei complementar", afirmou Mercadante.

De acordo com o coordenador, a emenda constitucional 95, do teto de gastos, tinha um dispositivo que previa a revisão do teto, com vigência até 2026. No entanto, o atual governo retirou o trecho durante a tramitação da PEC dos Precatórios.

Leia também: 'Não estamos discutindo preços dos combustíveis', diz equipe de transição

Publicidade

Na esteira da discussão sobre a principal âncora fiscal do país, o vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin (PSB), defendeu uma combinação com três partes: teto de gastos, curva da dívida pública e o resultado primário.

"Haverá, sim, uma discussão e uma revisão. O ideal é fazer uma combinação entre o teto de gastos, e aí se define qual a melhor fórmula, com a evolução da curva da dívida e com o resultado primário. Faz uma composição das três coisas", explicou Alckmin.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.