Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

Ossada encontrada perto do Palácio do Planalto é de homem de 54 anos

Corpo foi identificado nesta segunda-feira (13) pela Polícia Civil; ossos foram achados na última quinta-feira (9) pelo GSI

Brasília|Karla Beatryz*, do R7, em Brasília

Ossada foi encontrada pelo GSI próximo ao Palácio do Planalto, em Brasília
Ossada foi encontrada pelo GSI próximo ao Palácio do Planalto, em Brasília Ossada foi encontrada pelo GSI próximo ao Palácio do Planalto, em Brasília

A ossada encontrada nas proximidades do Palácio do Planalto, em Brasília, na última quinta-feira (9), foi identificada nesta segunda-feira (13) pela Polícia Civil do Distrito Federal. Segundo a corporação, o corpo é de Hermano Caetano Ferreira, que tinha 54 anos.

Os restos mortais, que estavam em estado avançado de decomposição, foram encontrados por servidores do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), durante um treinamento de rotina. De acordo com os agentes, a Polícia Militar foi acionada. Ao chegar ao local, os militares fizeram o isolamento da área e encaminharam o corpo ao Instituto de Criminalística.

Ao lado do corpo, havia objetos que parecem ser um celular e um anel
Ao lado do corpo, havia objetos que parecem ser um celular e um anel Ao lado do corpo, havia objetos que parecem ser um celular e um anel

Segundo a instituição, a ossada tinha o crânio e os braços separados do corpo. Ao lado dela, havia um telefone celular e um anel. De acordo com o delegado Geyson Gomes, responsável pelo caso, a Polícia Civil aguarda o laudo da morte, mas acredita que o homem teve uma morte natural. "Ele tinha histórico de alcoolemia e fugia de casa, ficando cerca de quatro dias na rua. Ele não tinha nenhum registro de crimes”, explica.

Em nota, a 5ª Delegacia de Polícia Civil (Área Central) informou que o homem estava desaparecido desde o início do ano, e as investigações sobre o caso continuam. 

Publicidade

Leia também: GSI encontra ossada humana perto do Palácio do Planalto

*Estagiária sob supervisão de Fausto Carneiro.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.