Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

PF prende novos envolvidos nos ataques de 8 de janeiro em Brasília

São cumpridos 32 mandados de prisão e 46 de busca e apreensão em nove estados e no Distrito Federal

Brasília|Carlos Eduardo Bafutto, do R7, em Brasília

Viatura da Polícia Federal em Brasília
Viatura da Polícia Federal em Brasília Viatura da Polícia Federal em Brasília

A Polícia Federal cumpre nesta sexta-feira (17) 46 mandados de busca e apreensão e 32 mandados de prisão preventiva em nove estados e no Distrito Federal. É a oitava fase da Operação Lesa Pátria, que investiga pessoas que participaram, financiaram ou se omitiram nos ataques ocorridos em 8 de janeiro em Brasília, quando as sedes dos Três Poderes foram invadidas e depredadas. 

Veja abaixo as fotos da oitava fase da operação Lesa Pátria nesta sexta-feira (17):

Os policiais federais cumprem mandados nos estados da Bahia, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Paraná, Rondônia, Rio Grande do Sul, São Paulo e no Distrito Federal. Ao R7, a Polícia Federal informou que são cumpridos nesta sexta-feira: 

Bahia: 2 mandados de busca e apreensão e 2 mandados de prisão preventiva;

Publicidade

Distrito Federal: 2 mandados de busca e apreensão

Goiás: 2 mandados de busca e apreensão e 2 mandados de prisão preventiva;

Publicidade

Maranhão: 1 mandado de busca e apreensão e 1 mandado de prisão preventiva;

Espírito Santo: 1 mandado de busca e apreensão e 1 mandado de prisão preventiva;

Publicidade

Minas Gerais: 9 mandados de busca e apreensão e 8 mandados de prisão preventiva;

Paraná: 2 mandados de busca e apreensão e 2 mandados de prisão preventiva;

Publicidade

Rondônia: 11 mandados de busca e apreensão;

Rio Grande do Sul: 3 mandados de busca e apreensão e 3 mandados de prisão preventiva;

São Paulo: 13 mandados de busca e apreensão e 13 mandados de prisão preventiva.

Segundo a PF, os crimes investigados são de abolição violenta do Estado Democrático de Direito, golpe de Estado, dano qualificado, associação criminosa, incitação ao crime, destruição e deterioração ou inutilização de bem especialmente protegido.

PGR denuncia mais cem envolvidos

A Procuradoria-Geral da República (PGR) apresentou, nessa quarta-feira (15), cem novas denúncias contra pessoas acusadas de ter participado da invasão às sedes dos Poderes. No total, desde o início das investigações, o número de denunciados chega a 1.037.

Leia também

As acusações partem da identificação de três grupos: o formado pelos que invadiram os edifícios e atuaram pessoalmente na depredação do patrimônio público; aquele composto pelos que avançaram as barreiras policiais de proteção dos edifícios; e outro pelos que acamparam nas imediações do Quartel-General do Exército, solicitaram intervenção das Forças Armadas e incitaram animosidade entre essas e os poderes constitucionais.

294 pessoas continuam presas

O ministro Alexandre de Moraes finalizou nesta quinta-feira (16) a análise dos pedidos de liberdade de presos pelos atos do dia 8 de janeiro. Ele determinou a soltura de mais 129 pessoas que, para o ministro, não representam mais risco à investigação e à sociedade.

No entanto, elas precisam usar tornozeleira eletrônica e não podem se comunicar com outros investigados. Tiveram os pedidos de liberdades negados 294 pessoas — 208 homens e 86 mulheres. 

Prejuízos milionários

Os danos causados ao Congresso Nacional, Palácio do Planalto e STF chegam a R$ 18,5 milhões, segundo estimativas apresentadas em janeiro pela Advocacia-Geral da União (AGU). Em pedido feito à Justiça Federal no DF para bloquear a quantia de quem financiou os atos, a AGU afirmou que os financiadores também devem arcar com o prejuízo.

"Os réus tiveram papel decisivo no desenrolar fático ocorrido no último dia 8 de janeiro de 2023 e, portanto, devem responder pelos danos causados ao patrimônio público federal e derivados desses atos, disso decorrendo a sua legitimidade passiva", diz o pedido. O bloqueio recai sobre imóveis, veículos, valores financeiros em contas e bens no nome dos investigados.

Confira os prejuízos calculados:

• Palácio do Planalto: R$ 7.978.773,07

• Câmara dos Deputados: R$ 1.102.058,18

• Senado: R$ 3.500.000,00

• Supremo Tribunal Federal: R$ 5.923.000,00

• Total: R$ 18.503.831,25

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.