Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Brasília
Publicidade

PGR vai interrogar deputada Carla Zambelli em 16 de novembro

A parlamentar será ouvida por ter apontado uma arma de fogo para um homem na véspera do segundo turno das eleições

Brasília|Augusto Fernandes, do R7, em Brasília

A deputada federal Carla Zambelli (PL-SP), flagrada apontando arma para homem
A deputada federal Carla Zambelli (PL-SP), flagrada apontando arma para homem A deputada federal Carla Zambelli (PL-SP), flagrada apontando arma para homem

A Procuradoria-Geral da República (PGR) marcou para a quarta-feira da semana que vem (16) o interrogatório da deputada federal Carla Zambelli (PL-SP). O órgão teve autorização do Supremo Tribunal Federal (STF) para ouvir a parlamentar antes de decidir se vai abrir uma investigação sobre ela devido ao episódio em que Zambelli apontou uma arma de fogo em direção a um homem, em São Paulo.

O depoimento da deputada pode ser feito via videoconferência. "Logo que recebi a notificação, me coloquei à disposição da PGR. Sou a mais interessada em elucidar o episódio e provar que agi em legítima defesa. Tenho embasamento suficiente para comprovar que não cometi nenhum ato ilícito", disse Zambelli, via assessoria de imprensa.

Em 29 de outubro, véspera do segundo turno das eleições, a parlamentar e os seguranças dela se envolveram em uma confusão no bairro Jardins. Um homem abordou a deputada no meio da rua e a provocou. Em determinado momento, Zambelli passou a correr atrás do rapaz, assim como os seguranças dela. Um deles, inclusive, efetuou um disparo para o alto.

Durante a confusão, Zambelli sacou uma arma e apontou para o homem envolvido no episódio. A deputada gravou um vídeo no dia do ocorrido e disse que pegou o revólver depois de ter sido agredida e xingada. Uma nova gravação, de outro ângulo, no entanto, mostrou que o homem não tentou atingir a parlamentar em momento algum.

O depoimento de Zambelli foi solicitado pela vice-procuradora-geral da República, Lindôra Maria Araujo. "Com o escopo de averiguar preliminarmente as circunstâncias fáticas que envolvem autoridade com prerrogativa de foro perante o egrégio Supremo Tribunal Federal, urge sejam adotadas diligências investigativas para o completo esclarecimento dos fatos", afirmou.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.