Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Senado aprova projeto que cria política nacional para diminuir o desperdício

Proposta cria a Política Nacional de Economia Circular e ainda será analisada pela Câmara dos Deputados

Brasília|Hellen Leite, do R7, em Brasília

Celular Seguro, furto, roubo, celular, aparelho celular, carnaval, assalto, bloqueio celular
Celular Seguro, furto, roubo, celular, aparelho celular, carnaval, assalto, bloqueio celular Celular Seguro, furto, roubo, celular, aparelho celular, carnaval, assalto, bloqueio celular (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

O plenário do Senado aprovou nesta terça-feira (19) o projeto de lei que institui a Política Nacional de Economia Circular. A proposta visa reduzir a quantidade de lixo produzido, promovendo a reutilização, recuperação e reciclagem de materiais e energia. O texto também propõe benefícios fiscais, apoio ao conserto de produtos e campanhas para conscientizar a sociedade.

Além disso, prevê que o governo ensine as pessoas sobre como usar os recursos de forma sustentável e aproveitar ao máximo a vida útil dos produtos. O texto será enviado à Câmara dos Deputados para análise.

Pelo texto, o governo também terá a obrigação de criar e atualizar um banco de dados com informações sobre como os produtos são feitos e usados ao longo do tempo. O projeto também diz que os consumidores têm o direito de consertar os produtos que compram.

A proposta, de autoria da Comissão de Meio Ambiente, foi aprovada na Comissão de Assuntos Econômicos no início do mês e relatado pelo senador Jaques Wagner (PT-BA), líder do governo na Casa Alta. 

"Com ele [o projeto de lei], o país adota um novo modelo econômico para aproveitar melhor os recursos naturais e reduzir drasticamente a produção de lixo. A Economia Circular estimula a criação de uma nova estrutura para a iniciativa privada, com investimento em novas tecnologias em cooperação com universidades e centros de pesquisa. E no caso do Brasil, o projeto é especialmente promissor, uma vez que podemos atrelar os setores de bioeconomia e do agronegócio para promoção de insumos industriais que já nascem com maior capacidade circular", disse Jaques Wagner.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.