Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Senador Marcos do Val apresenta laudo de sanidade mental

Atestado é assinado por psiquiatra forense do Senado; parlamentar é investigado por dizer que foi coagido a dar um golpe de Estado

Brasília|Hellen Leite, do R7, em Brasília

Senador Marcos do Val em comissão do Senado
Senador Marcos do Val em comissão do Senado Senador Marcos do Val em comissão do Senado

O senador Marcos do Val (Podemos-ES) divulgou um atestado de sanidade mental nesta quarta-feira (8). O laudo, assinado pelo psiquiatra forense do Senado Bruno Andrade Jess, informa que o senador "encontra-se apto, do ponto de vista de saúde, para o exercício do cargo". A avaliação consta como realizada nesta terça-feira (7).

Laudo de sanidade mental do senador Marcos do Val
Laudo de sanidade mental do senador Marcos do Val Laudo de sanidade mental do senador Marcos do Val

"Está circulando que irei tirar licença por questões de saúde ou por motivos pessoais. Comunico a todos que isso não procede e que seguirei trabalhando normalmente", acrescentou Marcos do Val, em nota. 

O senador é investigado pela Procuradoria-Geral da República (PGR), por decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), após o parlamentar apresentar diferentes versões sobre um suposto plano de golpe de Estado que envolvia gravar conversas com o próprio magistrado. 

O senador fez uma transmissão ao vivo nas redes sociais em que disse que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) o coagiu a participar de um golpe de Estado. Depois, Do Val mudou a versão sobre Bolsonaro e disse que a ideia partiu do ex-deputado Daniel Silveira (PTB-RJ).

Publicidade

Segundo Do Val, ele participou de um encontro com Bolsonaro e Silveira, no fim do ano passado, no qual o ex-deputado tentou convencê-lo a marcar uma reunião com Moraes para forçá-lo a reconhecer que desrespeitou a Constituição no processo eleitoral de 2022. Segundo o plano de Silveira, Do Val gravaria a conversa que teria com Moraes sem que o ministro percebesse.

O senador prestou depoimento à Polícia Federal e, de acordo com Moraes, apresentou outra versão da história. Com isso, o ministro determinou a abertura de um inquérito que envolve o parlamentar para apurar o que de fato ocorreu.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.