Diário Digital Prefeitura realiza ações de combate ao Aedes aegypti em três regiões

Prefeitura realiza ações de combate ao Aedes aegypti em três regiões

Cerca de 100 agentes estarão mobilizados nas visitas domiciliares e trabalho de educação em saúde

Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital

A partir desta terça-feira (30), a Prefeitura de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), realiza ações de combate ao mosquito Aedes aegypti – transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya – em três regiões da Capital de forma simultânea. Cerca de 100 agentes estarão mobilizados nas visitas domiciliares e trabalho de educação em saúde.

As ações irão ocorrer nos bairros Indubrasil e Silvia Regina, na Região Urbana do Imbirussu, José Tavares e Vila Cox, Região Urbana do Segredo, e Monte Castelo e São Francisco, pertencentes à área de abrangência da UBS 26 de Agosto, Região Central. Estas localidades estão em alerta para a infestação do Aedes aegypti, conforme levantamento feito pela Coordenadoria de Endemias Vetoriais (CCEV).

Ao longo da semana, os agentes irão vistoriar casas e comércios dos bairros, orientando os moradores sobre as medidas de prevenção e combate ao Aedes e realizando o chamado trabalho de manejo, que consiste no recolhimento de materiais inservíveis potenciais criadouros do mosquito, identificação e eliminação de focos.

Ações permanentes -  Desde novembro do ano passado, as equipes da secretaria vêm intensificando as medidas de prevenção e controle do vetor da dengue previstas no Plano de Contingência Municipal, que estabelece metas para conter uma possível epidemia de arboviroses, além de estabelecer diretrizes quanto à assistência e organização de fluxo. As diretrizes foram publicadas no último mês, prevendo estratégias a serem executadas até 2025 para evitar o aumento no número de casos.

Paralelamente ao chamado trabalho de manejo, que consiste na vistoria de imóveis, recolhimento de materiais inservíveis e eliminação de focos, a Sesau também tem reforçado as ações educativas e de mobilização social  nas sete regiões urbanas, distritos e assentamentos (Zona Rural) de Campo Grande, para orientar a população sobre as medidas para a prevenção às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Tais iniciativas também são reforçadas na Atenção Primária, por meio das unidades básicas e de saúde da família, e nas escolas em período letivo.

Casos - Do dia 01 a 23 de janeiro deste ano, foram notificados 375 casos de dengue em Campo Grande. Até o momento, não houve a notificação de nenhum caso de zika ou chikungunya. Em todo o ano passado a Capital registrou 17.033 notificações de dengue e seis óbitos provocados pela doença. Foram notificados, de janeiro a dezembro de 2023, 92 casos de zika e 176 de chikungunya.

A Capital fechou o segundo semestre apresentando redução significativa nos casos de dengue, se comparado com o período anterior. O pico da doença foi registrado em abril, com mais de 3 mil casos notificados. A partir de junho, houve redução expressiva com estabilização nos meses seguintes.

LIRAa - Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa) realizado neste mês de janeiro  detectou três bairros com risco de infestação do mosquito, outros 42 em situação de alerta e 28 a situação é considerada satisfatória. O levantamento completo está disponível para download no link:  https://www.campogrande.ms.gov.br/sesau/sec-downloads/liraa-janeiro-2024/

Últimas