Diário Digital Projetos incentivam cidadãos da Capital o ler

Projetos incentivam cidadãos da Capital o ler

Livros são levados aonde o povo está; um dos projetos ocupa ruas históricas da Capital

Diário Digital

Diário Digital

Diário Digital

Projetos estão incentivando cidadãos a ler mais em Campo Grande (MS). Os livros são levados aonde o povo está. E ninguém paga nada por eles. Basta pegar e levar.

Uma destas ações foi criada pelo vereador Ronilço Guerreiro e já tem 15 anos de história. Ele queria disseminar o hábito da leitura e escolheu o Centro da Capital para agir.

Segundo Ronilço, os lugares ocupados pelo projeto, Rua do Rio Branco entre a 14 de Julho e a 13 de Maio, são espaços que fazem parte da história de Campo Grande.

Ele pretende que cada canto seja ocupado pela cultura. 'Em um lugar em que não tem atrativos culturais, a violência vira espetáculo'. "Não é somente um projeto de incentivo à leitura, nós precisamos provocar nas pessoas a esperança", justifica Ronilço Guerreiro.

"Eu leio desde quando nosso vereador tinha cabelo. Ele é meu parceiro, sempre peguei os livros dele, muito legal a iniciativa dele e espero que só melhore seus projetos." André Coruba, de 62 anos.

"Eu gosto muito de livros evangélicos, de livros de histórias também, é muito interessante o que estão fazendo, levando a literatura para o povo." Mari Lúcia, de 49 anos, que mora na 14 de Julho.

"Eu sempre gostei de assistir e ler essas coisas sobre família, com assunto bem de família mesmo, com muita harmonia. Muito legal a iniciativa do vereador, uma oportunidade grande para quem gosta de ler e não tem dinheiro para comprar livros." Maria Divina, de 54 anos.

"Eu leio bastante, porém, só peguei uns livros de criança para o meu filho ler. Ótimo o projeto, ajuda muito a educar os filhos." Lucas Alexandre Santos.

"Eu estou muito feliz em poder proporcionar isso. A esperança através da leitura. E aqui no Calçadão da Rua Barão do Rio Branco, é um projeto que a gente percebe claramente que aqui é um lugar de encontros, é um lugar de grandes manifestações políticas e artísticas."

Ronilço tem o objetivo de transformar a Rua Barão do Rio Branco em um lugar onde o cidadão de Campo Grande frequente para apreciar as atrações culturais. Já a 14 de Julho, em uma Rua Cultural Gastronômica.

"E esse espaço aqui da Barão do Rio Branco, entre a Calógeras e a 13 de Maio, ela precisa ser voltada para eventos culturais, trazer gente para o Centro de Campo Grande." Vereador de Campo Grande, Ronilço Guerreiro.

Sorrisos literários - Outro projeto é promovido até o dia 12 de fevereiro, pela prefeitura de Campo Grande, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo (Sectur), a Campanha arrecada livros, que conta com o apoio do Shopping Campo Grande.

O projeto “Sorrisos Literários” teve início em novembro de 2023 e foi criado com o objetivo de incentivar a leitura e o seu acesso à criança e jovens.

A campanha conta com o apoio do Shopping Campo Grande e receberá livros novos e usados que serão distribuídos nas sete salas de leitura comunitárias ligadas à Biblioteca Pública Municipal Anna Luiza Prado Bastos.

(Foto: Divulgação)

(Foto: Divulgação)

Diário Digital

“Acreditamos que todos merecem acesso às atividades culturais enriquecedoras, independentemente de sua condição social. Este projeto pensado especialmente para as crianças, visa criar um ambiente que estimule a leitura e que também seja divertido e lúdico. Essa arrecadação possibilitará que tenhamos um acervo ainda melhor para atender nossos pequenos participantes”, afirmou Mara Bethânia Gurgel, secretária municipal de Cultura e Turismo.

A caixa para entrega dos livros está localizada no 1º piso do Shopping Campo Grande, ao lado do Serviço de Atendimento ao Cliente, de segunda a sábado, das 10h às 22h e aos domingos, das 12h às 20h.

 Feirão na Orla Ferroviária - Além das ações pela leitura, Ronilço  tem outro projeto que impacta a região central da Capital, o Feirão na Orla Ferroviária. A região da Orla era tomada por usuários de drogas. Hoje o local está sendo muito atrativo para o público e cada vez mais o feirão só cresce.

Últimas