Folha Vitória Câmeras nas fardas: PM estuda adotar equipamento no ES

Câmeras nas fardas: PM estuda adotar equipamento no ES

A Defensoria Pública do Espírito Santo defende o uso das câmeras em agentes penitenciários, civis e militares desde o ano de 2015

Folha Vitória
Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
Douglas Caus é comandante-geral da PM no Espírito Santo

A morte do adolescente de 17 anos, em Pedro Canário, nesta quarta-feira (1º), foi registrada pela câmera de segurança de uma residência. As imagens divulgadas foram cruciais para a elucidação do crime.

As cenas poderiam ser gravadas por câmeras acopladas às fardas de policiais militares. A prática não é utilizada no Espírito Santo, entretanto, a medida está em fase de análise pela Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp). 

Em entrevista ao Jornal da TV Vitória da Record TV, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Douglas Caus, disse que o Espírito Santo realiza um estudo com as polícias coirmãs em outros estados, sobre qual o melhor equipamento para ser utilizado. 

"Também estamos pesquisando qual a melhor forma de utilizar, o estudo é vigente, essa é uma tecnologia que deve ser agregada não apenas pela Polícia Militar, mas por todas as polícias e órgãos de segurança pública", destacou o coronel.

>> Quer receber nossas notícias 100% gratuitas? Participe da nossa comunidade no WhatsApp ou entre no nosso canal do Telegram!

No estado de São Paulo, a medida foi adotada em 2020. Os policiais militares policiais militares utilizam câmeras nas fardas. Segundo um estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), apenas na região metropolitana, mais de 100 mortes foram evitadas nos primeiros 14 meses de implantação do dispositivo.

A Defensoria Pública do Espírito Santo defende o uso das câmeras em agentes penitenciários, civis e militares desde o ano de 2015. No mês de fevereiro deste ano, o uso do equipamento por policiais penais foi regulamentado. 

Segundo a Defensoria, o material será usado em ocorrências de contenção e intervenção nos presídios. Até o momento, 70 equipamentos foram distribuídas para 36 unidades prisionais. 

A Sesp afirmou que as instituições policiais do estado prezam pela legalidade nas ações e que o uso de tecnologias garantem que todo desvio seja avaliado de forma exemplar. 

*Com informações da repórter Luana Damasceno, da TV Vitória/ Record TV 

LEIA TAMBÉM: Justiça mantém policiais presos por morte de adolescente em Pedro Canário 

Últimas