Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Caramujos africanos invadem Praça da Ciência em Vitória

Animais têm facilidade de procriação e causam transtornos a comerciantes no local

Folha Vitória

Folha Vitória|Do R7

Folha Vitória
Folha Vitória Folha Vitória

Os caramujos africanos parecem ter feito da Praça da Ciência, na Enseada do Suá, em Vitória, um novo criadouro. Uma verdadeira infestação dos animais toma conta do chão, da vegetação de restinga e até dos coqueiros do local. 

Os animais não são nativos do Brasil e foram assimilados à fauna nacional a partir do início da década de 1980 por cooperativas do sul do país, mas logo se alastraram por todo o território brasileiro, de acordo com o Instituto Fiocruz. 

Com a umidade, característica do outono, o aparecimento dos bichos se torna cada vez mais frequente, como conta o vendedor ambulante Elias da Silva Lemos, que relata que a presença dos animais causa diversos transtornos. 

>> Quer receber nossas notícias 100% gratuitas? Participe da nossa comunidade no WhatsApp ou entre no nosso canal do Telegram!

Publicidade

"Quando chove dois, três dias, eles aparecem aos montes. Na restinga, eles ficam porque é fresco", relatou. 

Ainda de acordo com o comerciante, os animais atrapalham, inclusive, o trabalho dos vendedores ambulantes, pois muitas vezes acabam invadindo até os carrinhos e equipamentos utilizados por eles. 

Publicidade

"Tem dias que os coqueiros aqui em volta parecem até jabuticabeira, de tanto caramujo. Já cansei de contar quantas vezes tive que arrancar eles do meu carrinho, porque eles sobrem nas coisas da gente, atrapalham a trabalhar", contou.

Prefeitura afirma que monitora presença dos caramujos 

Publicidade

Por meio de nota, o Centro de Vigilância em Saúde Ambiental (CVSA) afirmou que monitora os pontos de ocorrência do de caramujo africano (Achatina fulica) duas vezes por semana. 

A equipe identificou a presença de alguns caramujos africanos na faixa de areia e restinga da Praia da Guarderia. A equipe do setor de Controle de Animais Sinantrópicos do CVSA realizou catação dos caramujos ali encontrados", afirmou o órgão na mesma nota.

Além disso, a Secretaria de Saúde (Semus) orienta que o cidadão não toque no caramujo africano e que, caso encontre uma infestação, entre em contato com a Prefeitura por meio do Fala Vitória, por onde será orientado. 

"O atendimento de demandas sobre infestação de caramujos envolve orientação a população, catação manual em áreas públicas infestadas e, em último caso, aplicação de produtos químicos em áreas públicas para controlar grandes quantidades de caramujos", finalizou. 

Assista a vídeo dos animais na Praça da Ciência

Leia Também: Polícia encontra drogas escondidas na casa de caramujos africanos

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.