Folha Vitória Condenado à morte mais antigo do mundo terá novo julgamento no Japão

Condenado à morte mais antigo do mundo terá novo julgamento no Japão

Iwao Hakamada, de 87 anos, foi condenado por assassinar quatro pessoas há quase 60 anos

Folha Vitória
Foto: Pinterest Yuri Kageyama
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A justiça japonesa ordenou nesta segunda-feira (13) a revisão do julgamento de um homem de 87 anos, considerado o condenado mais antigo do mundo no corredor da morte, quase 60 anos após sua condenação por assassinato.

Os advogados de Iwao Hakamada deixaram o Tribunal Superior de Tóquio nesta segunda-feira, após uma breve audiência, com cartazes em que pediam um novo julgamento.

"Esperei por este dia por 57 anos e ele chegou", disse Hideko, irmã de Iwao Hakamada e principal apoiadora.

O japonês assassinou seu chefe e três membros de sua família

Hakamada passou mais de quatro décadas no corredor da morte depois de ser condenado em 1968 pelo assassinato quádruplo de seu chefe e de três membros de sua família.

Ele confessou o crime após semanas de interrogatório na detenção. Porém, se retratou e, desde então, não parou de reivindicar sua inocência. Sua sentença foi confirmada em 1980.

Ele foi solto em 2014

O ex-boxeador foi solto em 2014, depois que um tribunal admitiu dúvidas sobre sua culpa, com base em testes de DNA feitos em roupas que continham sangue, peça-chave da acusação.

Mas, em 2018, o Tribunal Superior de Tóquio lançou dúvidas sobre a confiabilidade dessas evidências e anulou a decisão de 2014 para um novo julgamento.

O Japão, juntamente com os Estados Unidos, é um dos últimos países industrializados e democráticos a recorrer à pena de morte.

A opinião pública japonesa é a favor dessa condenação.

*Com informações do portal R7

Últimas