Folha Vitória Crise de ansiedade: entenda o que levou Zé Neto a cancelar show

Crise de ansiedade: entenda o que levou Zé Neto a cancelar show

Os transtornos de ansiedade são caracterizados por sentimentos de grande preocupação que acabam paralisando o indivíduo e sensação...

Folha Vitória
Foto: Reprodução/Freepik - @DCstudio
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O Brasil é o país com o maior número de casos de ansiedade em todo o mundo e esse casos têm surgido em pessoas cada vez mais jovens. O alerta é da Organização Mundial da Saúde (OMS).  

O bailarino Davi Ramos é um dos muitos exemplos dessa constatação da organização. Ele descobriu que sofria com a ansiedade quando ainda era adolescente. Estudante do ensino médio, se sentiu paralisado pouco antes de começar uma prova. 

> Quer receber nossas notícias 100% gratuitas pelo WhatsApp? Clique aqui e participe do nosso grupo de Saúde!

"Eu estava no Primeiro Ano, na escola, tranquilo. Mas aí aconteceu um fato com um professor e eu comecei a me culpar por aquilo, mesmo eu não tendo feito nada. Comecei a chorar muito e não conseguia parar. Não conseguia sair do lugar onde eu estava e também não conseguia falar o que estava acontecendo", lembra.

Diogo conta que o pedido de socorro foi direcionado para a mãe. Logo depois, uma psicóloga foi quem ajudou a entender o que estava acontecendo. Desde então, fica atento aos sinais. "Eu entendi o que estava se passando comigo e comecei a tentar trabalhar aquilo para que eu não me sabotasse. E eu consegui me controlar", conta.

A psicóloga Aline Hessel, disse que o problema deixou de ser algo relacionado a adultos e que pessoas mais jovens têm buscado cada vez mais ajuda. 

"Principalmente pós pandemia a gente tem visto cada vez mais pessoas jovens e até mesmo crianças de 11, 10, 9 anos com quadros de crises de ansiedade relacionado a um nível de estresse e desestabilizado emocional".

Segundo a psiquiatra Janine Moscon é possível sim lidar com a ansiedade e mais, que além disso, ela pode se manifestar em pessoas diferentes, com . Porém, é comum as pessoas acharem que artistas, por exemplo, não sofrem com o problema. 

"Às vezes é até diferente, às vezes vai ter até mais problema. A gente já teve aí situações de ginastas, pessoas que tiveram que se afastar de suas atividades para poder se cuidar. Essa pressão que a gente vive hoje é muito forte e começa muito cedo. Temos crianças de 7 anos, 8 anos que já estão sendo preparadas, por exemplo, para o Enem. É uma competitividade muito grande".  

A especialista destaca que são exatamente situações como essas que começam a gerar medo e preocupação desde cedo. Tanto medo quanto a preocupação são sintomas que desencadeiam os outros sintomas da crise de ansiedade.  E alguns casos, quando a terapia não é suficiente, é preciso até mesmo usar medicações.

Sintomas

Em crianças, a queda no desempenho escolar é um dos sinais de que algo não está bem. Outras características são aquelas relacionados ao isolamento. Quando uma criança começa a chorar ao ter que ir para escola, não querer brincar e preferir ficar trancada no quarto ou só fazer as refeições também no quarto e não ficar junto com a família.

Em adultos, taquicardia, sensação de morte, de perda de controle, boca seca, tontura e náuseas são alguns dos principais sintomas de que a pessoa está passando por uma crise de ansiedade. 

De maneira geral, pessoas com transtorno de ansiedade apresentam pensamentos negativos. 

"O cerne da ansiedade é o medo e a preocupação. Quando você está com muito medo, você está muito pré ocupado, qual é a tendência? De ter pensamentos trágicos. Então, você vai pensar o que? Vai fazer uma viagem, ele tá com medo de acontecer alguma coisa naquela viagem, um acidente. Vai fazer uma prova, acha que não é capaz e não vai conseguir", disse a psiquiatra. 

Terapias

Para Aline, são muitas as evidências de que a terapia é muito eficiente. "E já trabalho há quase 20 anos com isso, com a terapia cognitiva comportamental, é uma abordagem da psicologia, que tem muitos estudos, que apresenta uma série de respostas positivas no tratamento".

A intervenção, ainda de acordo com a psicóloga acontece em duas frentes: na dinâmica de como aquela pessoas está se mantendo na vida e a outra é na sintomática, ou seja, como lidar com aquela ansiedade no momento em que ela está acontecendo.

Com ajudar alguém com crise de ansiedade

É fato que a ajuda equivocada pode aumentar ainda mais o sofrimento de quem está passando por uma crise de ansiedade. Por isso, é muito importante saber como se comportar e o que falar.

Angústia, medo, preocupação, incerteza e pensamentos pessimistas costumam tomar conta do indivíduo. Neste momento, o melhor é evitar amenizar a situação. O melhor é oferecer apoio, ouvindo bem mais do que falando. 

1. Distraia a pessoas com bons pensamentos e também lembranças;

2. Fale menos e escute mais;

3. Mostre que está verdadeiramente preocupado com a situação;

4. Oriente a respirar fundo e soltar o ar devagar pela boca;

5. Não faça julgamentos;

6. Aconselhe a buscar ajuda profissional

LEIA TAMBÉM: É verão: repelente ou protetor solar: qual aplicar primeiro?

 

Últimas