Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Falta de remédio que auxilia no crescimento de crianças preocupa mães no ES

A Somatropina é usada no tratamento de crianças com deficiência do hormônio GH (Growth Hormone), responsável pelo crescimento

Folha Vitória

Folha Vitória|Do R7

Folha Vitória
Folha Vitória Folha Vitória

Mães de crianças em tratamento com o medicamento Somatropina, que auxilia no crescimento de pacientes com deficiência do hormônio responsável pelo crescimento (GH), estão preocupadas. Elas temem que ele seja interrompido pela falta do remédio no mercado capixaba.

> Quer receber nossas notícias 100% gratuitas pelo WhatsApp? Clique aqui e participe do nosso grupo de Saúde!

Samuel, de 9 anos, foi diagnosticado com deficiência do hormônio do crescimento e precisa tomar uma injeção todos os dias de Somatropina. 

O remédio é caro. Por isso, Iris Hoisel, mãe de Samuel, retira o medicamento na Farmácia Cidadã. Porém, a dona de casa relata que desde este ano que a substância está em falta.

Publicidade

Juliana Faria também está preocupada. As doses para aplicar no filho Arthur, de 9 anos, estão acabando. A aflição é porque ela não faz ideia de quando terá acesso a novas caixas.

O fornecimento do Somatropina é de responsabilidade do Ministério da Saúde. O órgão informou aos estados que o laboratório fabricante tem realizado a entrega do hormônio de forma parcelada. A regularização, de acordo com a pasta, está prevista para os próximos dias.

Publicidade

Uma caixa do remédio custa aproximadamente R$ 300, o suficiente para apenas cerca de três dias de tratamento. A equipe de produção da TV Vitória/Record entrou em contato com as principais redes de farmácias do Espírito Santo. A resposta é que não há medicamento disponível na maioria delas.

Por meio de nota, o Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do Estado explicou que o alto valor agregado do Somatropina faz com que, de maneira geral, farmácia de porte menor não mantenha o estoque do remédio e por isso é difícil encontrá-lo.

Publicidade

Entre os prejuízos que a interrupção do tratamento pode provocar, de acordo especialistas, estão o aumento da massa gorda, a descalcificação dos ossos, redução da massa magra e o nanismo, que nada mais é que, o crescimento lento e a baixa estatura como consequência.

*Com informações da repórter Luana Damasceno, TV Vitória/Record TV 

LEIA TAMBÉM: Conheça 5 alimentos que parecem saudáveis, mas não são

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.