Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Inglesa que se feriu com martelo para simular agressão é condenada a 8 anos de prisão

A mulher foi considerada culpada por fazer oito denúncias falsas de estupro e agressão, que resultaram na prisão de uma pessoa

Folha Vitória

Folha Vitória|Do R7

Folha Vitória
Folha Vitória Folha Vitória

Eleanor Williams, de 22 anos, foi condenada a oito anos de prisão nesta terça-feira (14) por ter se ferido com um martelo e, posteriormente, alegado a polícia que foi agredida por uma gangue que traficava pessoas para exploração sexual.

A mulher foi considerada culpada por ter feito oito denúncias falsas de estupro e agressão, que resultaram na prisão de uma pessoa.

>> Quer receber nossas notícias 100% gratuitas? Participe da nossa comunidade no WhatsApp ou entre no nosso canal do Telegram!

Outros quatro suspeitos não foram condenados, mas ficaram presos preventivamente e alegam que foram prejudicados pelas falsas acusações da inglesa.

Publicidade

As investigações

As investigações revelaram que a jovem falsificava conversas para simular provas. Ela mandava mensagens para o próprio celular a partir de contas fake e também manipulava pessoas próximas para mandarem mensagens dizendo ser seus agressores.

Eleanor afirmava às autoridades que desde os 12 anos era levada para orgias no norte da Inglaterra e que chegou a ser vendida como escrava sexual em um leilão em Amsterdã, na Holanda.

Publicidade

A jovem tinha 16 anos quando fez a primeira queixa de que foi abusada sexualmente em uma festa. Em outro episódio, ela alegou que foi estuprada pelo mesmo homem após uma noite em uma boate em Manhattan, nos EUA.

Em 2020, Eleanor compartilhou fotos nas redes sociais com o rosto inchado e marcas de violência, dizendo que foi assediada, traficada e espancada por criminosos.

Publicidade

A publicação teve mais de 100 mil compartilhamentos e gerou manifestações em sua cidade natal, Barrow.

Folha Vitória
Folha Vitória Folha Vitória

Alguns dos homens falsamente acusados ​​deram declarações antes de sua sentença e contaram o que Eleanor causou em sua vida e na de seus familiares.

"Tivemos a palavra 'estuprador' pichada nos muros e a janela da sala quebrada. Minha mãe teve que sair de casa porque não se sentia segura", afirma Jordan Trengove, enquanto estava em prisão preventiva.

Mohammed Ramzan, outro homem de quem Eleanor diz ter sido vítima, conta que tentou se matar após duas semanas na prisão e que os impactos da vivência na cadeia refletem em sua vida até hoje.

A garota se desculpou por meio de uma carta e afirmou que cometeu alguns erros porque era muito jovem e confusa.

"Quando escrevi a postagem no Facebook, nunca pretendi causar problemas na comunidade. Estou arrasada com as consequências que isso teve em Barrow. Eu não estava pensando direito", completou Eleanor.

*Com informações do Portal R7

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.