Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Investigação sobre morte de modelo atropelada em Camburi pode levar mais 30 dias

No dia do acidente, a motorista do carro que atingiu Luísa Lopes se recusou a fazer o teste do bafômetro

Folha Vitória|

Foto: Vinícius Vasconcelos | Instagram

Após mais de dois meses da morte da estudante, modelo e passista de escola de samba Luísa Lopes, atropelada por uma motorista na noite de 15 de abril, na Avenida Dante Michelini, na Praia de Camburi, em Vitória, a Polícia Civil, questionada pela reportagem do Folha Vitória, informou que pediu à Justiça mais 30 dias para que o inquérito seja concluído. Além disso, disse que não há outras informações sobre o caso que possam ser repassadas.

LEIA TAMBÉM:

Sobre o assunto, a mãe da modelo, Adriani Luíza da Silva, lamentou: “Que Justiça é essa?”. Para ela, que está de licença médica até hoje, ficou a apreensão. “Primeiro passou um mês, depois dois e isso tem deixado a gente apreensivo, além da tristeza que já tínhamos. Esperamos a justiça, porque trazer minha filha de volta não vai ter como. Ouço relatos de outras mães para me apegar à fé. Mas que prazo é esse, que só se estende?”, desabafou Adriani.

Publicidade

“A gente se preocupa do caso cair em esquecimento, ficando mais difícil resolver. Espero que a demora seja realmente para virem à tona os fatos. No mês que vem Luísa faria 25 anos, no dia 24. Tenho tomado remédios, mas todos os dias me vêm as lembranças dela, a alegria e os sonhos interrompidos bruscamente pelo crime”, disse.

Motorista envolvida em acidente em Camburi foi solta após pagar fiança

No dia do acidente, a motorista do carro que atingiu Luísa se recusou a fazer o teste do bafômetro. Adriana Felisberto foi detida e levada à delegacia, onde teve a prisão em flagrante decretada por embriaguez ao volante. Ela passou por uma audiência de custódia e foi liberada após pagar uma fiança no valor de R$ 3 mil.

Publicidade

LEIA TAMBÉM: 

>> Por que motorista envolvida em atropelamento com morte foi solta?

Publicidade

>> Suspeita de atropelar e matar modelo está proibida de frequentar bares

Como era muito querida, conhecida e amada, Luísa ganhou uma homenagem dos amigos e familiares dias após a morte. No local do acidente, foram colocadas diversas flores. Os colegas também fizeram um protesto pedindo por justiça.

A reportagem entrou em contato com a defesa de Adriana Felisberto, mas o advogado informou que não vai se manifestar até o fim do inquérito.

Câmera flagra acidente que matou ciclista em Vitória

Imagens registradas por câmeras de videomonitoramento flagraram o momento do acidente que resultou na morte da modelo e estudante Luísa Lopes.

De acordo com a Secretaria Municipal de Segurança Urbana (Semsu) da Prefeitura de Vitória, numa análise preliminar, no momento do acidente, a ciclista estava no canteiro da avenida e, ao atravessar fora da faixa de pedestres, foi atingida por um carro que seguia no sentido Serra, quando o semáforo estava aberto para a passagem de veículos.

LEIA TAMBÉM: Em vídeo gravado momentos depois de acidente em Camburi, motorista nega ter bebido: "Tomei só água"

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.