Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Menino autista do ES faz desenho para vender, ninguém compra e história viraliza

Após a frustração de não vender para os coleguinhas, o tio da criança postou sobre o desenho. A publicação chamou a atenção até de...

Folha Vitória|

Folha Vitória
Folha Vitória Folha Vitória

Uma ideia de empreendedorismo de uma criança de 9 anos tinha tudo para se tornar uma frustração se não fosse o poder da internet. O pequeno José Renato Caliari não obteve sucesso na venda de desenhos na escola. No entanto, em pouco tempo, recebeu pedidos até de artistas e de pessoas de outros países.

De acordo com o advogado Fabrício Belo, tio da criança, tudo começou na última semana. José Renato é autista e possui poucos vínculos na escola. Mesmo assim, teve a ideia de vender seus desenhos para os coleguinhas.

>> Quer receber nossas notícias 100% gratuitas? Participe da nossa comunidade no WhatsApp ou entre no nosso canal do Telegram!

Ao voltar para casa, José Renato estava muito triste, pois seu pequeno negócio não decolou. Quando soube da história, o tio decidiu incentivar o sobrinho e fez uma encomenda, com direito à promoção. O resultado foi uma surpresa.

Publicidade

"Como ele estava triste, pensei em comprar e oferecer para os amigos mais próximos. Quando encomendei, ele falou que era R$ 2, pois estava na promoção. Na segunda-feira pela manhã ele me mandou a foto eu fiquei em choque e surpreso. Pensei que era um desenho comum de criança. Quando vi o desenho, com todos os traços, técnica e proporção correta, fiquei muito orgulhoso", contou o tio.

Folha Vitória
Folha Vitória Folha Vitória

Após voltar do trabalho, na noite do mesmo dia, Fabrício resolveu compartilhar a história por meio do Twitter. O que ele não esperava era que a publicação viralizaria rapidamente. Em menos de 48 horas, já foram mais de 4,4 milhões de visualizações.

Publicidade

"Até me preocupei se ia ter comentários negativos, pois a internet é um lugar muito perigoso, mas a maioria dos comentários foi de incentivo. Pais de autistas se identificando, falando que os filhos deles também desenham. Fiquei muito feliz", relatou o advogado.

A partir da publicação, José Renato passou a receber centenas de mensagens de apoio e encomendas. A história chamou a atenção até de artistas, como a atriz Mel Maia.

Publicidade

"A publicação foi muito compartilhada ontem (terça-feira, 27) em páginas grandes do Instagram. A atriz Mel Maia comentou e mandou direct para mim. Ela encomendou um desenho do Ursinho Pooh e passou o endereço dela para enviarmos pelos Correios".

Folha Vitória
Folha Vitória Folha Vitória

O tio relatou que não sabia se ele tinha uma meta quando pensou em começar as vendas. Agora, com o sucesso nas vendas e encomendas, José Renato já tem um propósito.

Publicidade

"Ele cobra o preço que quer, não tem uma tabela, e diz que quer comprar um kit de robótica. A gente sempre explica tudo para ele, sobre o que está acontecendo, e pede para ele atender e tratar bem as pessoas", disse.

Leia também: Relatos emocionantes marcam evento sobre autismo em Vitória

José Rento é autista no grau 1. De acordo com especialistas, quem possui este nível do transtorno do espectro autista apresenta dificuldade em iniciar interações sociais.

Autismo foi descoberto na escola

Segundo o tio, o transtorno foi descoberto apenas quando José Renato passou a frequentar a escola. A condição foi observada pelos professores, pois ele não se relacionava com os amigos, não saia da sala no momento do intervalo e nem sequer ia ao banheiro.

"Para ele, todos que estudam na mesma sala são amiguinhos, mas ele não interage. Por isso não sabemos para quem ele ofereceu o desenho. Em casa, eu convivo pouco com ele, por conta do meu trabalho, mas sempre estou por perto. Sabemos que temos que respeitar o tempo dele. Muitas vezes ele está de boa, mas de repente, fica nervoso e começa a chorar.

Com toda a repercussão, os pais e o tio resolveram criar uma conta no Instagram para José Renato. Em menos de 24 horas, o @joserenatocali já tem mais de 40 mil seguidores (e aumentando a todo momento).

Leia também: Autismo no Espírito Santo: desafio é a inclusão

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.