Folha Vitória Moradores da Serra relatam falta d'água há quatro dias

Moradores da Serra relatam falta d'água há quatro dias

Em nota, a Cesan afirmou que o serviço de manutenção emergencial foi concluído e que o abastecimento deve ser restabelecido gradativamente...

Folha Vitória

Moradores de diferentes bairros na Serra estão sofrendo com a falta de água no município. Em alguns casos, a ausência já faz quatro dias e, além do incômodo, em alguns casos até mesmo a fonte de renda de alguns moradores fica comprometida.

>> Quer receber nossas notícias 100% gratuitas? Participe da nossa comunidade no WhatsApp ou entre no nosso canal do Telegram!

De acordo com a Companhia Espírito-santense de Saneamento (Cesan), a falta d'água relatada pelos moradores se deve a uma manutenção emergencial divulgada pela companhia na última terça-feira (02). No comunicado, 144 bairros das cidades de Serra, Vitória e Fundão seriam impactados.

Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Porém, apesar do número de bairros, a Cesan não divulgou o motivo da manutenção e nem mesmo o prazo para a finalização do serviço, o que deixou cidadãos preocupados.

LEIA TAMBÉM: Com águas 'dançantes' e pet park, Parque da Prainha deve ser entregue em novembro

Nesta lista de prejudicados está a confeiteira Ana Nogueira, moradora do bairro Barcelona. Em entrevista à reportagem do Folha Vitória, ela conta que antes mesmo do anúncio da Cesan, a água já não saía mais da torneira.

"Desde segunda-feira a água tem faltado. Ela acaba de noite, mas de manhã não tem mais. Eu moro no final da rua e está desse jeito, meus vizinhos que moram no começo da rua a água nem chega", disse a moradora.

Com a falta d'água, ela disse também que os trabalhos de confeitaria foram afetados. Nesta quinta-feira (04), por exemplo, Ana disse a água chegou pela manhã por volta das 5h, mas por volta das 10h já não tinha mais.

"Isso impacta porque não dá para ter constância de água. Minha cozinha é abastecida com a água da rua e isso prejudica porque hora tem e hora não tem e o horário que chega a água, não tem como trabalhar", afirmou a confeiteira.

Sem água no escritório

Dono de um escritório de contabilidade, o contador Luciano Sagrillo contou à reportagem que o espaço de trabalho já está sem água há dois dias. Apesar da possibilidade de manter os atendimentos, ele disse que precisou comprar água nesses últimos dias.

“Ontem quando chegamos no escritório já estava sem água e hoje perdura o mesmo problema. Tive que arrumar dois galões de água e agora estou comprando água para beber", relatou.

O local fica no bairro Jardim Limoeiro e, segundo Sagrillo, é a primeira vez que isso acontece. "Nunca tinha passado por algo parecido antes. Quando faltava era só no fim de semana, mas igual agora nunca aconteceu comigo."

Foto: Leitor | Whatsapp Folha Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Moradores de condomínio recorreram a um caminhão pipa

Em um condomínio do bairro Colina de Laranjeiras, a funcionária pública Márcia Oliveira conta que os moradores precisaram se juntar e adquirir a água por um caminhão pipa. 

"Eu saio para trabalhar 7h e chego 17h30 querendo tomar banho, fazer janta e não tem água. Só chegou água com o caminhão pipa que a síndica do condomínio precisa racionar", disse a moradora que já está sem água em casa há três dias.

O que diz a Cesan?

Questionada pela reportagem sobre o tempo decorrido sem água nos bairros da Serra, a Cesan respondeu, em nota, que o serviço de manutenção emergencial foi concluído e que o abastecimento de água será feito de forma gradativa, primeiro nos imóveis situados nas áreas baixas e próximas às estações de bombeamento e em seguida nas áreas mais altas e nas extremidades das redes.

Confira a nota na íntegra:

O diretor Operacional da Cesan, Thiago José Gonçalves Furtado, informa que a manutenção emergencial foi concluída. O abastecimento de água foi retomado e será gradativamente normalizado primeiro nos imóveis nas áreas mais baixas e próximas às estações de bombeamento e em seguida nas áreas mais altas e nas extremidades das redes. Caminhões pipa estão complementando o abastecimento, basta o morador acionar a Cesan pelo telefone 115. A chamada é gratuita a qualquer hora do dia ou da noite.
A manutenção emergencial foi realizada em função da elevada turbidez na água do Rio Santa Maria da Vitória. A Cesan está realizando investimentos de R$ 61,5 milhões na melhoria tecnológica e ampliação da estação de tratamento para evitar que a turbidez na água do rio Santa Maria da Vitória prejudique o abastecimento.
Últimas