Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Morte de juíza: Patrícia Neves fala sobre legado de colega "alegre e apaixonada pela causa"

Juíza aposentada referência no Judiciário contou sobre admiração profissional e amizade de mais de 35 anos com a juíza Gladys Pinheiro...

Folha Vitória|

Folha Vitória
Folha Vitória Folha Vitória

A morte da juíza Gladys Pinheiro, da 1ª Vara da Infância e Juventude da Serra, neste sábado (13), surpreendeu não somente a comunidade e o Estado, mas também colegas de profissão e amigos próximos. 

A juíza aposentada Patrícia Neves, que atuou por 32 anos na 1ª Vara da Infância e Juventude de Vila Velha, é conhecida por ser referência da área e considerada uma das maiores defensoras das crianças e adolescentes. 

>> Quer receber nossas notícias 100% gratuitas? Participe da nossa comunidade no WhatsApp e do nosso canal do Telegram!

Patrícia Neves, que esteve presente no velório e sepultamento de Gladys Pinheiro na tarde deste sábado (13), contou que dividiu 35 anos de amizade e profunda admiração pela magistrada. 

Publicidade

"Somos amigas há 35 anos, pois fomos funcionárias do Poder Judiciário antes de ser juízas. Entrei na magistratura antes dela, e quatro anos depois me tornei juíza da Vara de Infância em Vila Velha, e ela na Serra", contou.

De acordo com Patrícia, Gladys honrou uma tradição de juízes que trabalham na Vara da Infância, ficou totalmente apaixonada pela causa. 

Publicidade

"Honrando a tradição, ela ficou apaixonada pela Vara de Infância. Para todos os magistrados que trabalham nesta esfera, é muito difícil sair, pois se apaixonam completamente pelo trabalho", afirmou a juíza aposentada, que também já foi presidente da Associação Brasileira de Magistrados da Infância e Juventude no Espírito Santo.

Uma conquista do tamanho do Brasil

Em 2017, Gladys Pinheiro foi autora do projeto de testemunha especial no Espírito Santo, um dos três primeiros projetos piloto da causa no Brasil. 

Publicidade

Ele versa sobre crianças ou adolescentes vítimas ou testemunhas de violência que narram o que presenciaram com proteção integral do Estatuto da Criança e do Adolescente. 

"Ela foi responsável por apresentar esse projeto, que foi uma conquista enorme. Na verdade, eu diria que foi do tamanho do Brasil, uma vez que foi um dos três projetos piloto em todo o país".

Além disso, a magistrada também foi homenageada com a premiação nacional "Adoção Tardia", em 2012, por seu trabalho de divulgação da importância de adotar crianças maiores do que dois anos. 

Jurisdição mais antiga

Gladys estava à frente da Vara da Infância e Juventude da Serra já há 22 anos. Com a aposentadoria de Patrícia em 2021, a magistrada se tornou a profissional mais antiga no cargo no Espírito Santo. 

Patrícia Neves conta que a juíza sempre prezou o trabalho ao lado da comunidade, além de ser muito bem quista pelas autoridades locais. Ela se lembrou ainda de outra característica da amiga, a alegria e o bom humor. 

"Falando como amiga, ela era muito alegre. Na nossa profissão são poucas as ocasiões em que podemos realmente sair e nos encontrar, mas sempre tivemos uma ótima relação. Acima de tudo, sempre tive por ela uma enorme admiração profissional", finalizou.

Centenas de despedem em velório e sepultamento de juíza no ES

Gladys Henriques Pinheiro foi velada e sepultada na tarde de sábado (13), no cemitério Jardim da Paz, na Serra. Amigos, familiares e colegas estiveram presentes na cerimônia. 

LEIA TAMBÉM: Juíza morreu com doença rara e após aneurisma aos 63 anos

Folha Vitória
Folha Vitória Folha Vitória

Leia detalhes e veja fotos na reportagem: Morte de juíza: família e amigos se despedem em velório de Gladys Pinheiro

*Reportagem de Guilherme Laje

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.