Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Mulher é estrangulada, espancada e quase morta pelo marido em Viana

Vítima e suspeito estão juntos há 15 anos e ela chegou a ser agredida até durante a gravidez. O agressor considerou a roupa que ela...

Folha Vitória|

Folha Vitória
Folha Vitória Folha Vitória

Um relacionamento de 15 anos, marcado por violência e agressões, quase terminou na morte de uma mulher de 35 anos. Ela foi espancada e estrangulada pelo marido, de 36, na tarde da última terça-feira (21), no bairro Canaã, em Viana. 

O motivo: uma roupa que a vítima estava vestindo, que o suspeito interpretou como uma provocação. Segundo a mulher, as agressões começaram imediatamente. 

>> Quer receber nossas notícias 100% gratuitas? Participe da nossa comunidade no WhatsApp ou entre no nosso canal do Telegram!

"Ele me disse que ia perguntar uma vez só o porquê de eu estar com aquela roupa, eu expliquei e ele me agrediu. Me jogou no chão e começou a me enforcar, eu gritava que não conseguia respirar e ele apertando meu pescoço", contou, emocionada, à reportagem da TV Vitória/Record TV.

Publicidade

O espancamento aconteceu na presença das filhas do casal, de 13 e 7 anos, que não puderam fazer nada, uma vez que o suspeito trancou a vítima no quarto. Antes disso, ele chegou a indagar a filha mais velha se a roupa que a mãe estava usando era dela. 

"Ele foi até o quarto onde a minha filha mais velha estava e perguntou: 'A roupa que a sua mãe tá usando, o short, é seu?' Ela falou que era. Ele perguntou se ela tinha jogado fora, ela disse que não, que eu só tinha pedido. Ele já voltou me pegando pelos cabelos e batendo meu rosto contra o guarda-roupa", disse. 

Publicidade

Leia Também: Mulher é detida ao tentar sacar R$ 2,5 mil usando documentos falsos

Ela conta que conseguiu pular pela janela da casa e pedir ajuda aos vizinhos, mas não foi auxiliada. "A porta do meu vizinho estava aberta, eu entrei pedindo ajuda e dizendo que ele ia me matar. Ele disse que não podia fazer nada, porque era briga de marido e mulher".

Publicidade

As filhas do casal conseguiram acionar a Polícia Militar e receberam os policiais com abraços no momento da prisão do pai. 

Com a chegada dos militares, o suspeito tentou desconversar e dizia que tudo estava bem: "Ele recebeu os policiais falando que estava tudo de boa", disse a mulher. 

Agredida durante a gravidez

À TV Vitória, a mulher contou que as agressões não pararam nem quando esperava as filhas do casal e que, a pior delas, aconteceu pouco antes do nascimento da segunda menina. 

"Quando eu estava na minha segunda gravidez, ele me jogou no chão. Caí de costas, já estava com barrigão, no fim da gestação, porque ele dizia que eu estava conversando com um homem", contou.

Ela relatou ainda que o suspeito sempre promete que as agressões não se repetirão, mas acabam acontecendo de novo. Ele chegou a fazer terapia, o que cessou a violência física por um tempo, mas que os surtos de ciúmes continuavam a acontecer. 

A vítima chegou a registrar o pedido de divórcio em dezembro de 2022, mas a disputa pela casa enfureceu ainda mais o homem. 

"Ele chegou a botar uma faca no meu pescoço e na minha barriga, e dizia que me mataria se contasse à polícia, que eu tinha que abrir mão da casa, senão ia me matar". 

A Polícia Civil informou que o homem foi preso e indiciado por lesão corporal e ameaça. Ele passou por exame de corpo de delito e enviado ao Centro de Triagem de Viana. 

*Com informações da repórter Alice Mourão, da TV Vitória/Record TV

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.