Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Notícias R7 – Brasil, mundo, saúde, política, empregos e mais
Publicidade

Os desafios dos cuidadores de pessoas com problemas de saúde

O mais indicado é que profissionais experientes cuidem das pessoas acamadas

Folha Vitória

Folha Vitória|Do R7

Folha Vitória
Folha Vitória Folha Vitória

Para manter o bem estar e a qualidade de vida de pacientes que necessitam de cuidados médicos ou estão acamados, seja por motivos de saúde ou devido a sua idade avançada, é importante que se tenha alguns cuidados diários e conhecimento para tornar a vida dessas pessoas melhor.

A questão é que a expectativa de vida aumentou nos últimos anos, ganhando 4,8 milhões de idosos em cinco anos, representando um crescimento de 18% nesse grupo etário, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com isso, cresce também o número de pessoas que ficam doentes por causa da idade e precisam de cuidados especiais.

O mais indicado é que profissionais experientes cuidem das pessoas acamadas, inclusive, se a mobilidade do paciente estiver bem limitada. De qualquer forma, é importante que os familiares também conheçam os cuidados necessários em algumas atividades e tenham condições de avaliar o serviço prestado ao paciente ou possam realiza-lo de maneira adequada.

Para os que precisam cuidar de seus pacientes em casa e não tem suporte hospitalar, algumas observações são importantes, conforme listado pela especialista em geriatria da Intermed Saúde, Katherine Colombo:

Publicidade

Ficar atento ao conforto do quarto é fundamental, pois é onde possivelmente o acamado vai ficar a maior parte do tempo. Além de ser arejado e silencioso, o cômodo deve contar com boa luminosidade.

A mesma restrição deve ser dada aos acessórios, como tapetes e objetos decorativos, que não são indicados porque acumulam pó e podem causar alergia, além do risco de provocar acidentes. Já a cama deve ter uma altura adequada às necessidades do paciente, bem como do cuidador.

Publicidade

Uma alternativa é adaptar uma cama normal, com suportes que permitam elevar a altura do tórax e dos membros. Travesseiros e almofadas de vários tamanhos e formatos também podem ajudar nessa hora. Já para evitar escaras, é importante ainda um colchão apropriado, que pode ser indicado pelo médico.

Mesmo acamados com pouca mobilidade devem ser colocados, ao menos uma vez por dia, durante uma hora no mínimo, em poltronas e cadeiras, as quais também devem oferecer o conforto adequado. É possível aproveitar esse momento para pegar um pouco de sol, o que é essencial a sua melhora, no entanto, isso não deve ser feito nas horas menos quentes do dia. O mais adequado é tomar sol no início da manhã e no final do dia, por meia hora, em média.

Publicidade

Para quem precisa cuidar de algum familiar em casa, a dinâmica é complexa, pois requer dedicação vinte e quatro horas e demanda um esforço em conjunto. É o que diz Daniele de Assis, advogada de 38 anos, que cuidou por dez anos de seu pai acamado depois de sofrer um AVC e perder os movimentos do corpo.

“Era só eu e meu irmão para cuidar do meu pai, eu morava em outra cidade e vinha diariamente para ajudar, pois ele dependia de ajuda para se alimentar, tomar banho e demais atividades. Fazíamos o possível para dar um conforto e uma qualidade de vida melhor para ele. Quando tem algum suporte médico para ajudar é muito melhor”, destaca Daniele.

Pacientes que necessitam de internação ou cuidados especiais por longos períodos, também podem encontrar outras opções de cuidados. Fabrício Aigner, diretor da Intermed saúde diz que hoje, no Estado, já e possível encontrar uma estrutura apropriada para receber e cuidar de paciente estáveis. “A ideia é proporcionar um ambiente semelhante ao de casa, e ao mesmo receber cuidados de médicos e enfermeiros, reduzindo as chances de infecções e contágios por outras viroses, disse”.

“O objetivo é de fazê-lo sentir que está em casa, mesmo estando fora dela. O paciente pode receber visitas a qualquer horário, além de poder receber até mesmo o seu animalzinho de estimação e assim, manter todo o tratamento mais humanizado possível”, disse Fabrício.

Existem também as pessoas que preferem manter o seu familiar em casa, porém assistido por profissionais, e nesse caso contrata-se empresas especializadas em home care, ou conseguem visitas de profissionais de saúde nas Prefeituras das suas cidades.

“No home care, são disponibilizadas equipes médicas para cuidar do paciente em sua residência. Esse tratamento é realizado após a análise de vários fatores técnicos que estão relacionados diretamente com a possibilidade de um tratamento sem a necessidade de equipamentos hospitalares complexos”, disse Fabrício.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.