Folha Vitória Roberto Carlos lamenta morte de Erasmo: "Minha dor é muito grande"

Roberto Carlos lamenta morte de Erasmo: "Minha dor é muito grande"

"É um privilégio para mim ter um amigo, um irmão assim por todos esses anos", disse Roberto Carlos

Folha Vitória
Foto: Reprodução / Instagram / @robertocarlosoficial
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Na noite desta terça-feira (22), o rei Roberto Carlos também prestou homenagem ao amigo Erasmo Carlos, que morreu nesta terça aos 81 anos. A homenagem foi divulgada no Instagram oficial do cantor que declarou: "Minha dor é muito grande".

> Quer receber nossas notícias 100% gratuitas pelo WhatsApp? Clique aqui e participe do nosso grupo de notícias!

Com uma amizade de longa data, Roberto faz questão de mencionar Erasmo como "irmão" na publicação.

"Um ser humano maravilhoso esse meu irmão. É um privilégio para mim ter um amigo, um irmão assim por todos esses anos. Difícil encontrar palavras para falar desse cara: o meu amigo Erasmo Carlos", escreveu em um trecho da publicação

Ao final do texto, o "Rei" reforça a importância de Erasmo e diz que o "Tremendão" sempre estará vivo com ele.

Ele viverá sempre em meu coração.
Que o nosso Deus de bondade o proteja e o abençoe sempre
Amém, amém, amém

>> Políticos manifestam pêsames nas redes por morte de Erasmo Carlos

>> Casagrande lamenta morte de Erasmo Carlos: "Legado que atravessa gerações"

Erasmo estava internado com quadro de paniculite

Por meio de nota, a assessoria de Erasmo Carlos informou que o cantor estava internado desde o dia 2 de novembro com "quadro de paniculite complicada por sepse de origem cutânea". Sobre o velório, a assessoria disse que será fechado somente para amigos íntimos e familiares do cantor.

Confira a nota na íntegra:

No dia do músico, nosso amado Erasmo Esteves, o Erasmo Carlos, o Gigante Gentil, o Tremendão, o Pai do Rock Nacional, se despediu.

Erasmo criou, amou, acompanhou a cada um de nós nos momentos importantes das nossas vidas.

E além de todas as maravilhas que compôs e cantou durante décadas, ele nos deixou recados: o futuro pertence à jovem guarda. E que é preciso saber viver!

Vamos continuar cuidando das novas gerações, por nós e por ele.

O velório será fechado à família e amigos íntimos.

Quem quiser homenageá-lo, escute suas músicas, suas mensagens. Nada o faria mais feliz e amado!

Em nota, o Hospital Barra DOr informa que Erasmo estava internado desde o dia 02/11 no Hospital Barra Dor com quadro de paniculite complicada por sepse de origem cutânea.

Família Erasmo Esteves

Equipe e banda Erasmo Carlos

Equipe Barra Dor

Foto: Reprodução / Instagram / @robertocarlosoficial
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Parceria com Roberto Carlos

Fosse na época da Jovem Guarda ou nas décadas seguintes, Erasmo participou da composição de muitos dos sucessos que se popularizaram na voz de Roberto Carlos. Entre eles, Calhambeque, Eu Sou Terrível, Detalhes, O Divã, Além do Horizonte e Cama e Mesa.

Em 1974, a dupla criou uma melodia para uma canção religiosa, mas não conseguiram concluir a música, que acabou engavetada. Três anos depois, Roberto, emocionado com a ida de Erasmo à sua festa de aniversário surpresa, escreveu a letra de Amigo durante viagem a Los Angeles.

"Você meu amigo de fé, meu irmão camarada/Amigo de tantos caminhos e tantas jornadas/Cabeça de homem, mas o coração de menino/Aquele que está do meu lado em qualquer caminhada", diz a letra, feita em homenagem a Erasmo Carlos.

Sobre ter que lidar com o fato de seu colega, Roberto, ser chamado de "Rei" ao longo dos anos, Erasmo Carlos dizia que não se incomodava. "Eu sou um compositor. O que eu sempre sonhei, a partir do momento que eu gostei de música, foi ser compositor, um criador. Jamais me passa pela cabeça o negócio de ser cantor, sabe? Eu canto por circunstância".

Foto: Reprodução / Instagram / @robertocarlosoficial
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
"Por isso posso dizer, da minha parte, nunca houve o mínimo incômodo de o Roberto Carlos ser o 'Rei'. Não, eu sou compositor. É isso que eu quero ser, o que eu sempre quis ser. Tudo que eu tenho na minha vida é em função do que eu sou e gosto de ser. Se eu não cantar, eu não me importo. A minha realização não é estar em um palco cantando, é eu estar com meu violão compondo", explicava em entrevista a Marília Gabriela no GNT, em 2010.

Fato é que nas muitas vezes em que mostrou seu lado cantor, fosse com músicas próprias ou compostas por outros artistas, Erasmo Carlos fez sucesso, como em Mesmo Que Seja Eu, Gente Aberta, É Preciso Dar Um Jeito, Meu Amigo, Pode Vir Quente Que Eu Estou Fervendo, Sentado à Beira do Caminho, Minha Fama de Mau, Mulher (Sexo Frágil) e De Noite na Cama.

Ao longo dos anos, tornou-se referência para inúmeros músicos. E recebeu homenagens, como na canção Tremendão é Tremendão, do grupo Funk'n'Lata. Em 1998, Ivo Meirelles explicava o motivo para a admiração, à Folha de S. Paulo: "Erasmo é autêntico. Não é marketeiro. Por isso o mercado não lhe dá o devido valor e ele está há anos sem gravar".

* Com informações do jornal O Estado de São Paulo

Últimas