Folha Vitória Varíola dos macacos: ES registra novos casos; número de notificações aumenta

Varíola dos macacos: ES registra novos casos; número de notificações aumenta

Segundo atualização do boletim epidemiológico divulgado pela secretaria de Estado da Saúde, 53 casos estão em investigação atualmente...

Folha Vitória
Foto: Reprodução/Freepik - @fabrikasimf
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O Espírito Santo confirmou mais dois casos de varíola dos macacos em apenas uma semana. Com isso, já são 150 infectados pelo vírus. As informações constam no no Boletim Monkeypox, divulgado na terça-feira (13) pela secretaria de Estado da Saúde (Sesa). Até a semana passada, 148 pessoas já tinham sido contaminadas.

> Quer receber nossas notícias 100% gratuitas pelo WhatsApp? Clique aqui e participe do nosso grupo de Saúde!

Do total atual de casos, 23 são mulheres. A maioria é composta por homens, com 127 testes positivos.

>> Quer receber nossas notícias 100% gratuitas no celular? Clique aqui e participe do nosso grupo de notícias de Saúde!

Ainda de acordo com o boletim, das 1041 notificações registradas, 53 seguem em investigação. Até o momento, 789 casos foram descartados.

Jovens seguem como maioria dos casos positivos no ES 

Entre as pessoas com idade de 20 a 29 anos, foram contabilizados 56 casos. Das pessoas de 30 a 39 anos, 46 casos foram confirmados. Do grupo com idade entre 40 e 49 anos, 28 também testaram positivo.

A varíola dos macacos também foi constatada em crianças, adolescentes e jovens. Entre 0 e 19 anos são 12 casos confirmados.

Saiba quais os sintomas e o que fazer em casos suspeitos

São considerados casos suspeitos pacientes que apresentam os seguintes sintomas:

- Erupção cutânea;

- Dor de cabeça;

- Fraqueza;

- Dor nas costas;

- Dor de garganta e aumento dos linfonodos do pescoço.

Além disso, pessoas com histórico de contato íntimo com desconhecido/a(s) e/ou parceiro/a(s) casual(is), nos últimos 21 dias que antecederam o início dos sinais e sintomas, devem ficar atentas. Veja outros pontos importantes:

1. Ter vínculo epidemiológico com casos confirmados de monkeypox nos 21 dias anteriores ao início dos sinais e sintomas;

2. Histórico de viagem a país endêmico ou com casos confirmados de monkeypox nos 21 dias anteriores ao início dos sintomas;

3. ter vínculo epidemiológico com pessoas com histórico de viagem a país endêmico ou país com casos confirmados de monkeypox, nos 21 dias anteriores ao início dos sinais e sintomas.

Caso surjam esses sintomas e ao se enquadrar nos vínculos definidos pelo órgão federal, a pessoa deve procurar uma Unidade Básica de Saúde mais próxima de sua residência para atendimento, notificação e investigação do caso. 

LEIA MAIS: Até cegueira temporária: Anvisa alerta sobre uso de produtos para trançar cabelos

Últimas