Portal Correio Apagão do Isea: o que causou o problema e qual a situação da unidade

Apagão do Isea: o que causou o problema e qual a situação da unidade

Alguns setores da maternidade do Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea), em Campina Grande, sofreram uma interrupção na energia...

Portal Correio
Portal Correio

Portal Correio

Portal Correio
(Foto: Divulgação/PMCG)

Alguns setores da maternidade do Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea), em Campina Grande, sofreram uma interrupção na energia elétrica no último sábado (21).

Por conta do problema, a Promotoria de Justiça de Campina Grande instaurou procedimento para apurar o “apagão”. Entre alguns tópicos, a instituição quer saber se há plano de manutenção das instalações elétricas do hospital e quais as providências adotadas para a correção das irregularidades.

Entenda, abaixo, a causa e os efeitos do problema na unidade de saúde, como a situação foi resolvida e como está o hospital atualmente:

O que causou o problema?

Segundo a Prefeitura Municipal de Campina Grande (PMCG), o problema foi ocasionado por um curto-circuito em um cabo subterrâneo do sistema elétrico da unidade de saúde.

Quantos pacientes foram transferidos?

No total, foram nove bebês e 22 gestantes – destas, três estavam na UTI Materna e 19 na enfermaria

Para onde foram levados?

Os bebês foram transportados em ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e da Central Municipal de Transferências em incubadoras. Quatro deles foram levadas para o Hospital da FAP, três para o Hospital da Clipsi e dois para o Hospital Regional de Queimadas.

As gestantes da UTI Materna foram encaminhadas, também por meio de ambulância, para o Hospital Municipal Pedro I, e as gestantes da enfermaria foram levadas para o Hospital Municipal Dr. Edgley – estas retornaram para a maternidade do ISEA logo após o restabelecimento da energia elétrica.

Qual a situação atual do hospital?

Segundo a PMCG, neste momento, cerca de 90% dos setores do ISEA já estão com energia elétrica restabelecida e 100% dos serviços foram retomados.

Acompanhe a TV Correio na Internet

Últimas