Portal Correio Patos sobe 38 posições no Ranking de Competitividade dos Municípios e ocupa 20ª colocação no Nordeste

Patos sobe 38 posições no Ranking de Competitividade dos Municípios e ocupa 20ª colocação no Nordeste

A competição no setor público é um elemento complementar à promoção da justiça, equidade e desenvolvimento institucional, social...

Portal Correio
Portal Correio

Portal Correio

Portal Correio
(Foto: Divulgação/ Prefeitura de Patos)

A competição no setor público é um elemento complementar à promoção da justiça, equidade e desenvolvimento institucional, social e econômico. Adaptado em relação ao conceito utilizado no setor privado, a definição de competitividade sob a ótica da gestão pública diz respeito à capacidade de planejamento, articulação e execução por parte do poder público, em seus territórios de responsabilidade, na promoção do bem-estar social, atendimento às necessidades da população e geração de um ambiente de negócios favorável. É dentro desse conceito que surgiu o Ranking de Competitividade dos Municípios.

A Edição 2023 do estudo aprofundado, realizado pelo Centro de Liderança Pública, trouxe os novos dados para 2024 que revelam que a cidade de Patos, no interior da Paraíba, cresceu vertiginosamente em apenas um ano na competição entre os municípios brasileiros.

A Capital do Sertão subiu nada mais nada menos que 38 posições nesse ranking nacional que mede a qualidade em diferentes áreas da administração gerando assim a competição saudável no setor público, além de possível, e desejável.

Patos saiu da posição 289 no país para 251ª colocação no Brasil, ou seja, uma subida de 38 posições em apenas um ano, deixando para trás cidades do seu porte no Estado da Paraíba como Bayeux e Santa Rita que ocupam posições mais acanhadas no ranking nacional em 398º e 391º lugares, respectivamente.

Mesmo ocupando posições mais privilegiadas, as maiores cidades do Estado, João Pessoa e Campina Grande, caíram no ranking. A Capital desceu 19 posições ocupando agora a 191ª posição, enquanto que a Rainha da Borborema caiu 24 posições em competitividade ocupando agora a 196ª colocação.

No entanto, na contramão dessa escala, a cidade de Patos não só subiu de posição na competição como provou de melhoramentos em diversas áreas, mas também teve piora em outras tornando assim em um grande desafio para os gestores. O estudo completo também traz em que áreas a cidade deve melhorar e vencer os obstáculos. Veja no final da matéria.

O Ranking também revela que no Nordeste a cidade não só melhorou em competitividade como é hoje uma das melhores colocadas na honrosa 20ª posição com nota de 47,89. De todas as cidades com mais de 80 mil habitantes na Paraíba, apenas três, João Pessoa, Campina Grande e Patos, aparecem entre as 20 mais bem ranqueadas. Veja abaixo as notas.

Ranking Competitividade Patos Nordeste

O Ranking de Competitividade dos Municípios mede não só o grau de qualidade de cada localidade, mas desse modo, têm potencial para operar como um poderoso sistema de incentivo e de enforcemento aos agentes públicos. Funcionam também como um mecanismo de accountability e promoção das melhores práticas na gestão pública. Em suma, sistemas de rankings possuem grande potencial para alavancar a eficácia e a eficiência das políticas públicas, fornecendo um mapeamento dos fatores de competitividade e de fragilidade das políticas públicas em cada município.

Sobre o Ranking

O Ranking de Competitividade dos Municípios tem como propósito alcançar um entendimento mais profundo e abrangente dos maiores municípios do país, trazendo para o público uma ferramenta simples e objetiva que paute a atuação dos líderes públicos brasileiros na melhoria da competitividade e da gestão pública local.

Ao mesmo tempo, o Ranking de Competitividade dos Municípios se configura como uma ferramenta bastante útil para o setor privado balizar decisões de investimentos produtivos, ao estabelecer critérios de atratividade em bases relativas entre os municípios, de acordo com as especificidades de cada projeto de investimento.

Como é feito o estudo

A quarta edição do Ranking de Competitividade dos Municípios analisa o total de 410 municípios brasileiros (7,36% do universo de municípios), representando os municípios do país com população acima de 80 mil habitantes de acordo com a prévia da população dos municípios com base nos dados do Censo Demográfico de 20221 coletados até 25/12/2022.

Esta edição apresentou a maior variação de composição dos municípios no ranking. Em todas as três edições anteriores, utilizamos as estimativas populacionais anuais do IBGE para estabelecer os municípios que compõem o recorte populacional superior a 80.000 habitantes. Em geral, estas estimativas populacionais anuais apresentavam tendência a crescimento populacional e, assim, tendência à inclusão de novos municípios no ranking.

Em conjunto, os 410 municípios em análise correspondem a 60,19% da população brasileira (125,043 milhões de habitantes do total de 207,750 milhões de habitantes do Brasil de acordo com a prévia do Censo Demográfico de 2022).

A quarta edição do Ranking de Competitividade dos Municípios é composta por 65 indicadores, organizados em 13 pilares temáticos e 3 dimensões, conforme detalhado neste relatório.

Nessa edição não houve inclusão de novos indicadores e nem mudanças metodológicas nos indicadores que compõem o ranking. Até o fechamento desta quarta edição do estudo, não havia atualização dos dados necessários para a construção dos indicadores “Qualidade da informação contábil e fiscal”, “Transparência municipal” (mais uma edição do ranking sem a atualização dos dados para o indicador) e “Emissões de gases de efeito estufa”.

Conforme destacado abaixo, a primeira dimensão abordada neste estudo, “Instituições”, é composta por 2 pilares: “Sustentabilidade fiscal” (contendo 4 indicadores) e “Funcionamento da máquina pública” (contendo 6 indicadores). A segunda dimensão em análise, “Sociedade”, é composta por 7 pilares: “Acesso à saúde” (contendo 4 indicadores), “Qualidade da saúde” (contendo 5 indicadores), “Acesso à educação” (contendo 6 indicadores), “Qualidade da educação” (contendo 4 indicadores), “Segurança” (contendo 5 indicadores), “Saneamento” (contendo 7 indicadores) e, por fim, “Meio ambiente” (contendo 5 indicadores). Por último, a terceira dimensão em estudo, “Economia”, é composta por 4 pilares: “Inserção econômica” (contendo 3 indicadores), “Inovação e dinamismo econômico” (contendo 8 indicadores), “Capital humano” (contendo 3 indicadores) e “Telecomunicações” (contendo 5 indicadores). Informações mais detalhadas sobre cada um dos indicadores que compõem este estudo estão contidos no Anexo 1 deste relatório (glossário de indicadores).

Este conteúdo é de responsabilidade da Prefeitura Municipal de Patos

O post Patos sobe 38 posições no Ranking de Competitividade dos Municípios e ocupa 20ª colocação no Nordeste apareceu primeiro em Portal Correio - Notícias da Paraíba e do Brasil.

Últimas