Saiba como evitar que seu filho seja vítima de abuso sexual

Crianças devem ser orientadas sobre partes do corpo a proteger e sobre uso da internet

Saiba como evitar que seu filho seja vítima de abuso sexual 

Prevenir abusos sexuais contra crianças e adolescentes exige algumas medidas que podem ser consideradas drásticas. Em tempos em que a internet faz parte da rotina dos menores, o cuidado deve ser ainda mais rigoroso. O R7 conversou com especialistas em segurança, em um encontro promovido pelo Instituto ABIHPEC, para dar dicas sobre como prevenir abusos.

Silva Meneses, especialista da empresa Alesco, diz que com os bebês é preciso estabelecer a maior vigilância possível sobre toda a rotina. Na fase em que a criança já consiga conversar, o primeiro passo é explicar quais partes do corpo dela não devem ser tocadas.

— Falamos para os pais das "partes proibidas". Ensine que nenhum adulto deve tocar nas partes genitais, anais e peitoral. Isso pode ser dito como "as partes que o biquíni/maiô e sunga cobrem". Eles vão entender. Ensine também que não podem falar com estranhos ou aceitar nada deles.

Coloque o computador na sala e tente ter as senhas. Separe um tempo para navegar junto com a criança e pergunte que sites ela mais gosta de acessar. Andrea Freitas, especialista em gestão de riscos e prevenção a perdas, diz que muitas famílias entendem essas atitudes como uma invasão de privacidade e exagero.

— Não tenham medo dessas medidas. Crianças não têm consciência de segurança na internet e essa responsabilidade é dos pais. É melhor ter esse controle do que viver o trauma de um abuso. As crianças mentem dizendo que vão encontrar com amiguinhos e podem se encontrar com um pedófilo que conheceram na internet. Eles [os agressores] não têm pressa e sabem o que estão fazendo. 

Veja como saber se seu filho é vítima de abuso sexual

Ensine a criança que ela não pode enviar fotos dela para ninguém e que só devem se comunicar virtualmente com pessoas que elas conhecem pessoalmente. 

Os pedófilos tendem a escolher as crianças mais tímidas, afastadas do grupo e quietas. Elas são alvos fáceis e que dificilmente vão relatar aos outros os abusos sofridos. Deixe a criança o menor tempo possível sozinha e tenha certeza de quem vai nas viagens em grupo e nas casas em que ela vai dormir.