Click Gratis Perda de memória em idosos: Causas e dicas para evitar

Perda de memória em idosos: Causas e dicas para evitar

Com o avançar da idade, muitos dos órgãos do corpo humano vão acabando tendo o seu trabalho dificultado, incluindo o cérebro. Por isso, a ideia de associação entre a velhice com dificuldades de memória acaba sendo muito comum. E, mesmo quando este problema não está diretamente associado à uma doença mais grave da mente, como o Mal de Alzheimer, a perda de memória pode acontecer como parte de um processo natural do envelhecimento.

O cérebro humano ainda é uma parte do corpo que não é completamente entendida. Muitos dos médicos já entendem sobre o seu funcionamento de uma forma geral, mas os detalhes de como essa massa cinzenta consegue formar tudo o que um ser humano é e entende e como ele se diferencia dos demais animais ainda vai exigir algumas décadas de estudo e pesquisa.

Por isso, alguns dos problemas que surgem nesta região, como quando as coisas não funcionam da forma esperada e que pode ser considerada como normal, muitas vezes também não é entendida pelos médicos e pesquisadores. E isso faz com que os processos de cura e de tratamento sejam ineficientes. 

Veja também:

7 cuidados fundamentais para manter a saúde dos olhos em dia 8 dicas para melhorar a memória e o desempenho no trabalho Praticar exercícios físicos regularmente ajudam para uma boa memória

Por isso, existem diversas possíveis causas para a perda de memória em pessoas acima de uma certa idade. Mas grande parte da comunidade médica entende hoje o cérebro como qualquer outro órgão do corpo humano: algo que realmente precisa se manter ativo e em movimento para se manter saudável. Portanto, da mesma forma que as pessoas investem tempo, nos dias de hoje, para buscar um corpo saudável, também é possível buscar formas de fortalecer a mente.

Manter o cérebro ativo é considerado como um dos grandes segredos para evitar o desenvolvimento de muitas dessas doenças que causam a perda de memória e a dificuldade cognitiva depois de uma certa idade, especialmente no campo do aprendizado. Na opinião destes médicos, quanto antes as pessoas entenderem isso na sua vida, melhor. Mas isso não significa que os idosos não possam iniciar um processo de fortalecimento ou até mesmo de cura do cérebro. 

Perda de memória em idosos: Causas e dicas para evitar

Perda de memória em idosos: Causas e dicas para evitar

Click Grátis - Notícias

Para manter o cérebro ativo, existem alguns métodos que são apontados como mais eficientes:

Jogos cognitivos

Jogar é uma excelente forma de manter o cérebro ativo. Afinal de contas, durante estes momentos o cérebro precisa pensar em diferentes formas de resolver problemas para derrotar os adversários. Mas existem alguns tipos de jogos que acabam se tornando ainda mais interessantes para quem deseja manter sua mente ativa, como quebra-cabeças, palavras cruzadas, sudoku, jogo da memória e xadrez. Além disso, jogar com outras pessoas ajuda a fortalecer os laços e a convivência social, algo que também é apontado como de grande eficiência para uma velhice com melhor qualidade de vida. 

Leitura

Mesmo que a leitura possa acabar se tornando algo mais complicado para as pessoas que chegam em uma determinada idade, em função da dificuldade de enxergar, ela deve ser mantida, mesmo que com a ajuda de acessórios e da própria tecnologia. A atividade trabalha muito o foco, que ajuda a manter o cérebro funcionando, trabalhando especificamente em uma determinada atividade. 

Aprender coisas novas

Assim como um sedentário precisa forçar o seu corpo quando ele está iniciando uma atividade física nova, muitos idosos acabam simplesmente deixando de lado o gosto por aprender coisas novas. E isso pode acabar se tornando um erro com sérias consequências. Manter o gosto pelo aprendizado é muito importante para as pessoas de mais idade, e mesmo que elas tenham deixado isso de lado em algum momento da sua vida, é muito importante forçar o cérebro para retomar a prática. E, ainda mais em tempos de aumento da expectativa de vida, deixar de aprender coisas novas depois de uma certa idade é praticamente desistir da vida. 

Resolver pequenos desafios

Para que o cérebro sempre seja incentivado a pensar, pode ser interessante trabalhar com a ideia de resolver pequenos desafios que podem ser inseridos no cotidiano mesmo. Podem ser coisas bem simples, como memorizar todos os itens que devem ser comprados no mercado sem a utilização de uma lista, aprender alguma pequena coisa nova todos os dias, fazer tarefas com a mão que não é aquela acostumada, etc. 

Saia de casa

Essa também acaba sendo uma tendência da vida dos idosos que devem ser combatidas como parte do esforço de manter o cérebro sempre ativo. Por mais que muitos deles adorem ficar em casa, pode ser que o cérebro simplesmente descanse, já que tudo o que está ao seu redor é mais do que conhecido. Por isso, é muito importante sair de casa, ver coisas e pessoas diferentes, se forçar a passar por algumas situações inusitadas, como fazer um caminho diferente para voltar para casa, etc. Mas, claro que tudo isso deve ser feito com segurança, levando em consideração as limitações de cada um. 

Últimas