Economia FGV: confiança do comércio sobe 3 pontos em janeiro, primeira alta desde setembro de 2022

FGV: confiança do comércio sobe 3 pontos em janeiro, primeira alta desde setembro de 2022

A alta do indicador em janeiro foi influenciada por uma melhora da percepção dos empresários em relação à situação atual

Agência Estado - Economia
Resultados positivos recuperam parte do que foi perdido em 2022, diz coordenador da pesquisa

Resultados positivos recuperam parte do que foi perdido em 2022, diz coordenador da pesquisa

RENATO S. CERQUEIRA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O Índice de Confiança do Comércio (Icom) subiu 3,0 pontos na passagem de janeiro para fevereiro, para 85,8 pontos, a primeira alta desde setembro de 2022, informou nesta terça-feira (28), a Fundação Getulio Vargas (FGV). Em médias móveis trimestrais, o indicador caiu 0,5 ponto, a quarta redução consecutiva.

"A confiança do comércio volta a subir em fevereiro depois de quatro meses com fortes quedas ou estabilidade. A alta do mês foi influenciada por uma melhora da percepção dos empresários em relação à situação atual, mas é necessário cautela porque os resultados positivos recuperam apenas parte do que foi perdido desde o final de 2022", avaliou Rodolpho Tobler, coordenador da Sondagem do Comércio no Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.

Conforme Tobler, pelo lado das expectativas, se observa uma acomodação em nível baixo, com pouca variação nos últimos meses, demonstrando que ainda existe preocupação com o futuro.

Recuperação

"Os próximos resultados serão importantes para mostrar se a alta deste mês sinaliza o início de uma recuperação ou apenas uma manutenção da confiança em patamar baixo. O segundo cenário parece mais provável considerando a expectativa de desaceleração econômica no início de 2023", completa o coordenador.

Em fevereiro, houve melhora na confiança em cinco dos seis principais segmentos do comércio. O Índice de Situação Atual (ISA-COM) avançou 6,7 pontos, para 86,6 pontos, após quatro meses de quedas consecutivas. O Índice de Expectativas (IE-COM) recuou 0,8 ponto, para 85,7 pontos.

A Sondagem do Comércio de fevereiro coletou informações de 739 empresas entre os dias 1º e 24 do mês.

Últimas