Economia Gasolina sobe 1,6% em novembro, depois de cair 4 meses seguidos

Gasolina sobe 1,6% em novembro, depois de cair 4 meses seguidos

Pesquisa da Ticket Log mostra aumento em todo o país, com preço do litro em R$ 5,32; etanol fica mais caro em três regiões 

  • Economia | Do R7, com Agência Estado

O preço da gasolina teve alta de 1,6% em novembro, segundo a Ticket Log

O preço da gasolina teve alta de 1,6% em novembro, segundo a Ticket Log

Edu Garcia/R7 - 07.11.2022

O preço da gasolina apresentou alta de 1,6% no acumulado do mês de novembro até o dia 28, depois de registrar quatro quedas consecutivas, entre julho e outubro. O litro do combustível passou de R$ 5,24, valor registrado em outubro, para R$ 5,32. Os dados são do IPTL (Índice de Preços Ticket Log), divulgados nesta segunda-feira (28).

"Todas as regiões brasileiras apresentaram aumento no preço médio da gasolina, sendo o mais expressivo no Sul, de 4%. Já o etanol teve aumento em três regiões, com destaque para o Centro-Oeste, com acréscimo de 6,8%", diz Douglas Pina, diretor-geral de mobilidade da Edenred Brasil. A Ticket Log é a marca de gestão de frotas e soluções de mobilidade dessa empresa.

O maior preço médio da gasolina foi registrado nos postos do Norte, R$ 5,47. O combustível mais barato foi encontrado no Sudeste, que apresentou acréscimo de 1,49% na comparação com outubro.

Na análise por estados, os postos de Roraima venderam a gasolina mais cara, a R$ 5,88 o litro. Já o Rio Grande do Sul foi o local com o combustível mais em conta, a R$ 5,01.

Na região Norte foram encontrados os maiores valores para os dois combustíveis, tanto para a gasolina como para o etanol. Esse segundo teve altas de 6,80%, 5,70% e 4,54% no Centro-Oeste, Sudeste e Sul, respectivamente.

Roraima aparece com o maior preço médio para o litro de etanol, R$ 5,34, e a Paraíba, com o mais barato, R$ 3,62.

O IPTL é um índice de preços de combustíveis calculado com base nos abastecimentos realizados nos 21 mil postos credenciados da Ticket Log, que administra mais de 1 milhão de veículos, com uma média de oito transações por segundo.

Últimas