Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Educação
Publicidade

Alunos perdem juntos mais de 300 quilos com orientação nutricional de professores

Disciplina eletiva ajudou estudantes da escola estadual Professora Irene Branco da Silva a se conscientizar sobre alimentação saudável

Educação|Marcela Virgulino*, do R7

Alunos do ensino médio integral passaram por mudanças significativas com atividade diversificada
Alunos do ensino médio integral passaram por mudanças significativas com atividade diversificada Alunos do ensino médio integral passaram por mudanças significativas com atividade diversificada

Os alunos da escola estadual Irene Branco da Silva, em São Paulo, perderam mais de 300 quilos juntos. O projeto faz parte de uma disciplina eletiva do ensino médio integral e proporcionou a 22 estudantes a participação em atividades diversificadas.

As professoras Helloanny Malaquias, de educação física, e Danielle Caetano, de química, estiveram no comando da orientação e incentivo da saúde para seus alunos. Ambas encontraram no período integral a possibilidade de oferecer conteúdos diferenciados e educativos.

"Na escola, temos um componente curricular do novo ensino médio que é o Projeto de Vida, que permite aos professores buscar informações sobre o que os alunos precisam para pensar o futuro", diz Helloanny. "Percebi o interesse no assunto e montei a eletiva de treinamento chamada Quem Perde Ganha."

As atividades das aulas Quem Perde Ganha ajudaram os alunos Mariana Cassimiro de Jesus, Isabela Silva Cristiá Gonçalves e Mateus Cosme Marin dos Santos a encontrar um novo propósito e buscar práticas para se exercitarem no dia a dia.

Publicidade

Para Mateus, a matéria eletiva trouxe uma nova visão. “Foi muito prático, nós nos desenvolvemos bastante, aprendemos muito, é algo que eu vou levar para a minha vida, porque me beneficiou muito fisicamente e posso dizer que psicologicamente", conta. "Pratico os exercícios, sigo a alimentação, enfim, tudo o que aprendi estou pondo em prática.”

Mariana explica como foi o processo até o atual momento. “A mudança mais drástica foi na alimentação e em fazer os exercícios, porque eu não me alimentava direito e não fazia nenhum tipo de atividade física. Depois dessa mudança, comecei a comer de maneira mais saudável e deixar as besteiras de lado.”

Publicidade
Relato de um dos alunos participantes
Relato de um dos alunos participantes Relato de um dos alunos participantes

Se na hora de estudar para uma prova muitos alunos ficam ansiosos quanto ao desempenho que vão ter, Mariana, Isabela e Mateus tiveram essa experiência e enfrentaram dificuldades para fazer os exercícios físicos.

“O projeto, para mim, foi algo bem complicado porque eu não tinha afinidade com exercícios, na verdade, eu não fazia muito, tinha a aula de educação física e um pouco de noção na área da alimentação, mas conforme o projeto foi andando, fui melhorando e aumentando as metas", lembra Isabela. "O pessoal se empenhava junto, no final consegui fazer tudo. É uma coisa muito boa, é como se fosse uma terapia e me ajudou bastante.”

Publicidade

Mateus foi persistente. “No meu caso, nunca pensei em desistir, ao contrário, sempre me motivei para ir cada vez mais, até porque nos estávamos unidos, um ajudava o outro. Quando estava pensando em desistir ou falava alguma coisa baixo astral vinha um amigo e me incentivava a continuar, a gente levava o projeto em frente com a professora Helloanny e continuamos caminhado”.

Do desafio à conquista

"A grandeza exige sacrifícios" frase do escritor e poeta alemão Friedrich Schiller remete às mudanças que estamos dispostos a fazer no cotidiano. Para as professoras e os alunos da Irene Branco da Silva o resultado não está apenas na aparência física, mas, sim, na qualidade e conhecimento, compartilhados na escola.

“A gente tinha como motivação ter um futuro melhor, as professoras nos incentivavam todos os dias. Todo mundo se ajudava em todos os momentos e quesitos — quando alguém estava desanimado para ir à aula, todos iam juntos, quando tínhamos alguma atividade livre e tinha uma comida diferente a gente se ajudava, até na sala de aula a pessoas levavam comida saudável e compartilhavam”, lembra Isabela.

De acordo com o Manual MSD, a prática regular de exercícios favorece a boa saúde, o bem-estar, aumenta a flexibilidade do corpo, alonga os músculos, evita lesões e outros fatores que proporcionam uma vida com qualidade e prazer.

“Quando foi no meio do semestre, eu criei três grupos, eles começaram a ser os protagonistas: o Mateus era da turma de treinamento, ele estudou o que era resistência, atividades aeróbicas e para o que serve um treinamento de força", conta a professora. "O Mateus trouxe essas informações e ele deu aula, lógico que com minha supervisão. Já a Mari e a Isa são do grupo de alimentação, elas também tiveram que estudar o assunto e também deram aula sobre o tema." 

Para Helloany, todo o sucesso da disciplina eletiva se deve ao comprometimento dos alunos. “Eles foram autônomos dentro da eletiva, ao mesmo tempo em que eles aprenderam, eles ensinaram, isso que é o importante dentro do programa. Eu consegui fazer de uma matéria eletiva um sucesso? Sim, mas apostei todo esse sucesso nos meus alunos.”

"Nunca tive um professor que me incentivasse. Por isso, sempre digo aos meu alunos que eles precisam pensar no futuro e sempre procurar o melhor. O meu objetivo é o melhor para o meu aluno, e hoje temos o Projeto de Vida que pode ajudá-los", diz a professora.

E conclui: "Gravei a seguinte frase: 'não me ensinaram a sonhar' e essa frase ficou marcada porque eu não tive um educador que me ajudasse a planejar o meu futuro e é por esse motivo que procuro ajudar e auxiliar meus alunos".

*Estagiária do R7, sob supervisão de Karla Dunder

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.