Educação Para estudantes, tecnologia vai mudar o ensino superior

Para estudantes, tecnologia vai mudar o ensino superior

59% dos entrevistados  disseram acreditar que as mídias sociais serão usadas como ferramenta de ensino no futuro

59% dos entrevistados disseram acreditar que as mídias sociais serão usadas como ferramenta de ensino no futuro

Divulgação/Facebook

Estudantes de 21 países consultados em uma pesquisa sobre ensino superior definiram que daqui alguns anos, os cursos de graduação serão baseados  em  conteúdo digital, horários flexíveis, bibliotecas virtuais.

Isso aconteceria com aumento de oferta de conteúdo digital, horário mais flexível – favorecendo quem trabalha fora durante o processo de formação e uso das redes sociais.

De 20.800 estudantes ouvidos pelo levantamento da Laureate International Universities, conduzido pela Zogby Analytics, 59% disseram acreditar que as mídias sociais serão usadas como ferramenta de ensino no futuro. 

Para brasileiros, universidades devem focar em ensino voltado para o mercado de trabalho

Dos 4.300 alunos ouvidos no Brasil, mais da metade também espera que as mídias sociais sejam aplicadas na educação, 26% aguardam que os anos vindouros terão maior oferta de cursos online, assim como 70% avalia que a maioria dos livros e material de estudo estará disponível de graça na internet. 

O levantamento revela ainda que os estudantes apostam na inovação dos cursos no futuro. Isso fica claro quando 68% deles responderam que as instituições de ensino superior terão bibliotecas online nas quais eles poderão acessar livros e outros materiais remotamente e sem custo. 

Leia outras notícias sobre Educação no R7

A tecnologia também traria mais flexibilidade na carga horária e isso reflete na opinião de metade dos estudantes consultados. Eles disseram acreditar que a maioria dos cursos será oferecida em qualquer horário do dia ou da noite.

Além disso, 43% dos alunos responderam que a expectativa é ter acesso a educação personalizada online, "o que poderá tornar a experiência tradicional em sala de aula menos importante", descreve o relatório da Zogby. 

Últimas