Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Eleições 2016
Publicidade

Antes da campanha, Marcelo Freixo defendeu anistia para jovens que cometeram crimes no Rio de Janeiro

Durante palestra para estudantes de Direito, Freixo falou sobre presídios e segurança pública

Eleições 2016|Do R7

Freixo, antes da campanha, defendeu a anistia para criminosos
Freixo, antes da campanha, defendeu a anistia para criminosos Freixo, antes da campanha, defendeu a anistia para criminosos

Numa quarta-feira, dia 20 de julho deste ano, os membros o PSOL confirmaram o nome do professor de História e ativista dos Direitos Humanos Marcelo Freixo como candidato da legenda para disputar a prefeitura do Rio de Janeiro. Durante a campanha, o candidato se disse vítima de boatos espalhados pela internet com conteúdo falso ou descontextualizado. 

No entanto, alguns dos vídeos mais contundentes contrários à candidatura de Freixo são trechos da palestra que então deputado estadual deu na Faculdade de Direito da Universidade Cândido Mendes, no dia 2 de outubro de 2014, ou seja, 657 dias antes de ser escolhido candidato pelo PSOL.

Na íntegra do vídeo, numa edição sem cortes, é possível acompanhar as posições e justificativas dadas por Freixo em defesa da desmilitarização da PM e a anistia para jovens que cometeram crimes no Rio de Janeiro. 

Na palestra, para uma plateia formada em sua maioria por estudantes do curso de Direito, Freixo disse que não acredita no sistema penitenciário. "Prisão é um lugar muito caro para tornar as pessoas piores", disse, explicando que desde os 21 anos (na época ele tinha 47 anos) vivenciou o cotidiano das cadeias cariocas como professor de alfabetização. "Uma coisa que conheço é cadeia. Aquilo não serve para nada. Aquilo não ajuda em nada. Quanto mais gente lá, pior para quem está do lado de fora".

Publicidade

Freixo também se posicionou contra a redução da maioridade penal, que era um tema bastante discutido na época. "Não tem a menor eficácia. Se reduzir hoje vão colocar mais 10 mil jovens num sistema que já tem 500 mil presos. Não altera em nada [a Segurança Pública]".

Em seguida, Freixo defendeu a proposta de anistia para os jovens que cometeram crimes. "Eu defendo um processo de anistia. O governo tem que chamar o Ministério Público, a Defensoria Pública, juntar todos os órgãos, os governos estaduais, os governos municipais das grandes cidades e fazer um programa de anistia. Pegar o jovem que está no crime e não tem condenação e dizer o seguinte: 'olha você tem uma chance de sair do crime agora. Larga o crime que você entra em um projeto social bancado pelo governo. Você vai voltar a estudar e terá acompanhamento'. Eu quero disputar essa molecada com o tráfico e com a milícia. Se eu prender, eu estou entregando ele para o tráfico e para a mílicia", disse.

Publicidade

De acordo com as declarações de Freixo, na universidade localizada no Méier, zona Norte do Rio, em outubro de 2014, a anistia para jovens criminosos seria mais barata que o encarceramento. "Se prender, são R$ 3 mil por mês para piorá-lo, para ele ficar mais violento e cometer crimes maiores quando sair. Com metade disso, [investido no programa de anistia] ele pode largar o crime e recuperar a dignidade. É melhor para todo mundo", disse.

Na sequência das respostas aos estudantes, Freixo disso ainda que é a favor da desmilitarização da polícia com a criação de um ciclo único que, na prática, é a extinção da PM, incorporando a instituição na polícia civil, sem a hierarquia militar.

Veja a íntegra do vídeo. O trecho em que Freixo fala sobre a anistia começa aos 9min40seg.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.