Eleições 2016 'Delegado acabou investigado por abuso de poder', diz campanha de Crivella sobre capa de revista

'Delegado acabou investigado por abuso de poder', diz campanha de Crivella sobre capa de revista

Campanha de candidato à Prefeitura do Rio emitiu nota sobre fotos divulgadas por 'Veja'

Marcelo Crivella - 800

Marcelo Crivella - 800

Thiago Ribeiro/25.08.2016/FramePhoto/Folhapress

A campanha de Marcelo Crivella, candidato pelo PRB à Prefeitura do Rio, emitiu, na noite desta sexta-feira (21), nota sobre a capa divulgada pela revista Veja, em que o senador aparece em fotos tiradas após ser detido em 1990.

"Crivella, como engenheiro, tentou entrar em um terreno da Igreja Universal que tinha sido invadido em Laranjeiras", diz a nota. "Na confusão, acabou sendo levado para a delegacia, onde o delegado mandou fazer as fotos para identificá-lo."

"A única investigação aberta foi para investigar o abuso de poder do delegado", acrescenta o texto.

Leia mais notícias de Eleições 2016

Confira a íntegra do posicionamento:

"A revista Veja traz em sua capa duas fotos do senador Marcelo Crivella identificado em uma delegacia em 18 de janeiro de 1990. A explicação é bem menos emocionante do que muitos esperam. Na ocasião, Crivella, como engenheiro, tentou entrar em um terreno da Igreja Universal que tinha sido invadido em Laranjeiras. Na confusão, acabou sendo levado para a delegacia, onde o delegado mandou fazer as fotos para identificá-lo. A única investigação aberta foi para investigar o abuso de poder do delegado. O senador nunca foi preso".

Leia mais notícias sobre Eleições 2016

Assista ao vídeo de Crivella publicado no Facebook:

Últimas