Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Eleições 2016
Publicidade

Justiça impõe derrota a Freixo e concede tempo na TV a Crivella

Juiz diz que candidato do PSOL à Prefeitura do Rio usa propaganda para espalhar o 'ódio'

Rio de Janeiro|Do R7

Juiz diz que campanha no 2º turno está sendo marcada por "conduta odiosa", e Freixo usa seu tempo para espalhar "ódio"
Juiz diz que campanha no 2º turno está sendo marcada por "conduta odiosa", e Freixo usa seu tempo para espalhar "ódio" Juiz diz que campanha no 2º turno está sendo marcada por "conduta odiosa", e Freixo usa seu tempo para espalhar "ódio"

A postura mais agressiva do candidato à prefeitura do Rio pelo PSOL, Marcelo Freixo, na campanha do segundo turno sofreu duas derrotas no TRE-RJ (Tribunal Regional Eleitoral do Rio).

O juiz da fiscalização da corte, Marcello Rubioli, concedeu, no tempo de televisão do psolista, dois direitos de resposta ao concorrente do PRB, Marcelo Crivella, por causa de vídeos veiculados pela propaganda eleitoral de Freixo para atacar o adversário.

Para o magistrado, a campanha no segundo turno está sendo marcada por "conduta odiosa", e Freixo usa seu tempo para espalhar "ódio".

Leia mais notícias de Eleições 2016

Publicidade

No primeiro vídeo, o candidato do PSOL teria utilizado ilegalmente imagens editadas de um culto religioso no qual Crivella, que é bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus, teria, supostamente, demonstrado estar interessado no dinheiro dos fiéis.

No segundo, Freixo teria irregularmente associado a imagem do oponente a milicianos. Desta vez, foi usado um vídeo em que a ex-vereadora Carminha Jerominho, filha e sobrinha dos milicianos Jerônimo Guimarães Filho, o Jerominho, e Natalino Guimarães, manifesta apoio a Crivella.

Publicidade

Em uma das decisões sobre as peças, o juiz considerou "lamentável" a postura de Freixo. Rubioli também afirmou que "flagrantemente um discurso antigo do representante (Crivella) foi desvirtuado para denegrir sua imagem".

"A transcrição e a reprodução da mídia demonstram ter sido reproduzida informação inverídica, esta utilizada como propaganda negativa do adversário dos representados, aliás conduta odiosa que tem sido a tônica da propaganda do segundo turno", escreveu o juiz.

Publicidade

‘Filosofar

Rubioli também fez críticas a Freixo. "É até de filosofar, eis que o mote do representado (o candidato do PSOL) no primeiro turno seria que não possuía tempo de propaganda, garantido o mesmo por atuação inflexível do subscritor (o juiz que não aceitou que houvesse acordo entre as duas campanhas para redução do tempo diário de propaganda no rádio e na televisão), tal somente é utilizado para disseminar ódio e propaganda negativa", afirmou o magistrado.

Por causa do vídeo do culto religioso, Freixo terá de ceder quatro blocos de tempo de campanha, cada um com 30 segundos, à campanha de Crivella. Devido ao uso do vídeo da ex-vereadora Carminha Jerominho, o candidato do PSOL cederá de seu espaço quatro inserções de um minuto cada.

Defesa. Nos processos, é relatado que Freixo não apresentou defesa em nenhum dos casos. O tribunal informou que já notificou as emissoras de televisão sobre a decisão. As duas decisões podem ser cumpridas em um mesmo dia.

Por meio de nota, Crivella disse que "Freixo editou uma fita mentirosa tentando convencer as pessoas que abusava da palavra de Deus para fazer as pessoas doarem dinheiro". "Ele mentiu, por isso foi condenado e perdeu tempo de TV para nós", afirmou ele, no texto.

O candidato do PSOL reagiu à decisão do TRE-RJ. "São decisões equivocadas, e nós estamos recorrendo. Ao contrário do nosso adversário, que tem nos atacado com boatos, mentiras grosseiras e acusações absurdas, nossas denúncias mostram como ele realmente pensa e com quem ele pretende governar."

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.