Eleições 2022 Campanha de Bolsonaro alega que presidente teve 15 mil inserções a menos em MG

Campanha de Bolsonaro alega que presidente teve 15 mil inserções a menos em MG

Denúncia apresentada no TSE aponta possíveis falhas na veiculação de propagandas eleitorais em rádios

Campanha do presidente Jair Bolsonaro reclama de problemas nas inserções

Campanha do presidente Jair Bolsonaro reclama de problemas nas inserções

Joédson Alves./EFE - 19.10.2022

O chefe de comunicação da campanha do presidente Jair Bolsonaro, Fabio Wajngarten, afirmou que o PT teve 15.101 inserções de rádio a mais em cidades de Minas Gerais no segundo turno. De acordo com ele, foram levantados os dados das veiculações realizadas entre 7 e 14 de outubro.

Os advogados do presidente encaminharam ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a acusação de que ocorreram falhas nas inserções em diversas regiões do país, principalmente no Nordeste. Ao tribunal, foram apresentadas as listas com as rádios, arquivos de áudio e o resultado de uma análise feita por uma empresa de clipping (que fez monitoramento das emissoras).

"Bastou levantarmos os dados de Minas, e os resultados confirmam o tamanho do problema. Apenas entre os dias 7 e 14 de outubro, 90% das rádios exibiram 15.101 inserções a mais para o PT", escreveu Wajngarten nas redes sociais.

Cada inserção que não teria sido divulgada tem 30 segundos de duração. Segundo a campanha de Bolsonaro, os materiais que deixaram de ser veiculados correspondem a 1.283 horas de conteúdos não exibidos. De acordo com a equipe do chefe do Executivo, o Nordeste foi a região com o maior percentual de inserções não divulgadas: 29.160.

Em nota, o TSE afirmou que não realiza a distribuição de propaganda eleitoral de candidatos. As inserções para rádio e televisão devem ser encaminhadas ao pool de emissoras, e os veículos devem se planejar para acessar as mídias e cumprir a legislação na divulgação do material, inserindo as peças, de acordo com resoluções da corte.

Últimas